Animais

A ração portuguesa que nasceu no ano da pandemia e que já dá cartas no mercado

A Petuga tem vindo a conquistar o palato dos animais de companhia em Portugal.
Comida saborosa.

São cada vez mais os portugueses que veem os seus animais como membros da família. Prova disso está na procura cada vez maior por alojamentos, restaurantes, praias e locais de passeio pet friendly.

Para quem tem um animal de companhia, a sua saúde é um elemento muito importante, pelo que uma boa nutrição faz parte do processo. Quanto melhor for a qualidade daquilo que ele come, maior será a probabilidade de uma vida mais longa.

Se aqui há uns anos, na hora de comprar a ração para o nosso cão, a escolha se cingia a um punhado de boas marcas, agora o cenário mudou. Já há mais facilidade em importar ração de outros países e também houve empreendedores portugueses que entraram nesta carruagem, sem quererem perder o comboio da oportunidade trazido pelo aumento do número de animais nos lares do país.

Um desses exemplos é a Petuga, marca lançada pela Zoopan – uma empresa 100 por cento portuguesa, reconhecida no mercado veterinário, com uma ampla variedade de produtos e serviços para atender às necessidades dos animais na área da saúde e da nutrição.

Esta marca de alimentos para animais de companhia fabricados inteiramente em Portugal, que chegou ao mercado na reta final de 2020, “nasceu com o propósito de colocar no mercado uma ração diferente, com nutrientes e suplementos alimentares adequados a uma alimentação animal completa e saudável, que ajude a acautelar o aparecimento das patologias mais frequentes em cães e gatos”, explica a Petuga à PiT.

E veio precisamente para reforçar a aposta num nicho em franco crescimento. “Nascida no seio de uma empresa de saúde e nutrição animal, a Petuga fez uso de todo o know-how técnico de uma equipa de especialistas experientes, garantindo a aplicação dos mais recentes métodos de formulação, produção e controlo de qualidade, em prol da conquista de um novo segmento até então pouco explorado pela empresa”, refere a marca de petfood nacional.

A casa-mãe Zoopan está no mercado desde 1980, estando vocacionada para o setor veterinário e dedicando-se à produção e comercialização de um leque alargado de produtos e serviços focados nas necessidades dos animais na área da medicina veterinária e nutrição. E foi no ano do aparecimento da pandemia na Europa que a Zoopan decidiu, com a Petuga, “dar os primeiros passos no mercado pet, em franca evolução, cuja indústria apresentou uma taxa de crescimento anual de 2,8%”.

A necessidade de colocar no mercado uma ração portuguesa veio do “aumento da consciencialização sobre a dignidade e bem estar animal, que levou a que os animais assumissem cada vez mais protagonismo no seio das famílias portuguesas, tornando-se elementos importantes e respeitados”, conta a marca à PiT.

Quanto ao feedback, a resposta dos consumidores está a ser muito positiva. “Ainda que lançada em fase de pandemia, a Petuga tem vindo a conquistar o palato dos animais e o coração dos donos. O feedback positivo que nos vai chegando relativamente à formulação, constituintes e palatabilidade do alimento – e a boa aceitação por parte dos animais – é a prova de que estamos no caminho certo”, considera a marca.

E que tipo de alimento é mais procurado no âmbito da oferta Petuga? “O alimento de gato é o mais procurado porque estes animais estão cada vez mais presentes nos lares dos portugueses, especialmente nos grandes centros urbanos – onde se verifica a maior rede de distribuição da marca”, diz.

Quanto à distribuição, a marca tem vindo a desenvolver parcerias para a venda em locais físicos. “Além da distribuição já implementada, estamos a trabalhar em novas parcerias e novos meios que nos façam chegar a cada vez mais animais e nos permitam tornar a Petuga numa referência nacional do seu segmento de mercado”, salienta a empresa. “Queremos fazer parte de cada vez mais famílias”, remata.

Percorra a galeria para saber mais sobre a Petuga e a sua oferta alimentar para animais de companhia.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT