Animais

Ana foi uma porquinha feliz, mas o coração falhou. “Serás sempre o nosso bebé”

A jovem suína, que se apaixonou pelo companheiro João num santuário em Palmela, não resistiu à fragilidade do seu coração.
Ana e João.

Há histórias que desafiam todas as probabilidades e têm tudo para serem felizes. A história dos porquinhos Ana e João era uma delas. Ambos resgatados pela organização de bem-estar animal Animal Save & Care Portugal, apaixonaram-se perdidamente um pelo outro e foi no santuário em Palmela, onde foram acolhidos, que viveram uma bonita história de amor ao longo do último ano. Para grande tristeza de todos, terminou neste sábado, 29 de junho, quando o frágil coração de Ana falhou.

Ana, meu amor, queríamos tanto que envelhecesses connosco, não esperámos que partisses já… Nunca é o dia certo, nunca estamos preparados para que ele chegue. Por mais que soubéssemos que a tua saúde era frágil e que um dia o teu coração iria parar de bater sem aviso, nunca é fácil e não faz com que doa menos”, escreveu, com pesar a Animal Save & Care, ao despedir-se da porquinha.

Foi tudo repentino e a partida deu-se sem qualquer sinal. “Estavas normal, a brincar com o João, a querer roubar a comida da Matilde, como sempre fazias, e a viveres a tua vida como qualquer outro dia… mas a morte nunca avisa quando vem, e veio ontem à tarde com um ataque cardíaco fulminante. A vida do João não será a mesma sem ti e a nossa também não… Esta é e será sempre a pior parte de dedicarmos a nossa vida a salvar vidas: a certeza de que todas elas terão um fim”.

“A tua vida continuará através de nós”

“Serás sempre o nosso eterno bebé que conseguimos salvar de uma morte prematura, e que, depois de todas as sentenças de morte que te tinham dado, viveu uma vida completa, feliz e cheia de amor. A tua vida continuará através de nós e fica a promessa de que, enquanto os nossos corações baterem, a tua luz e a tua memória nunca desaparecerão. Até já, Anocas, o nosso milagre lindo de resiliência e superação. Obrigada por nos teres dado o privilégio de sermos a tua família, hoje e sempre”, remata a organização, num post inundado também da tristeza dos seguidores deste santuário.

 
 
 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação partilhada por Animal Save & Care Portugal (@animalsaveandcareportugal)

Ana nasceu já em Palmela, há um ano e meio. Era uma das crias de uma porca grávida acolhida pela Animal Save & Care Portugal e por lá ficou. Já João nasceu algures no Norte do país, mas o destino juntou-o a Ana. Foi salvo ainda bebé, em junho do ano passado, após ser encontrado na rua pelas autoridades, e foi acolhido pela organização. E desde então, o amor entre os dois porquinhos foi sempre em crescendo.

O casal tornou-se inseparável e andavam sempre juntos no refúgio de paz da Animal Save & Care Portugal, à qual preside Alice Basílio com o apoio do companheiro Noel Santos – também ativista do movimento Animal Save no nosso país. “A Ana é completamente apaixonada por ele”, contou recentemente à PiT Alice Basílio. 

Ana tinha um problema no coração

Mas Ana tinha um problema de saúde, detetado quando tinha era ainda muito pequena. “As ninhadas de porquinhos que nascem aqui, que já vêm nas barrigas das mães que resgatamos, acabam por ser muito livres, vão para todo o lado, andam pelo terreno todo, passam por debaixo das vedações e são completamente livres”, explicou Alice. “Mas reparámos que a Ana, com dois ou três meses, continuava pequenina e não estava a desenvolver-se como os outros e trouxemo-la para próxima de nós”. Durante vários meses, Alice e Noel tentaram descobrir qual era o problema da suína. E foi tudo menos fácil. “Tentámos vários veterinários e nenhum deles nos ofereceu uma ajuda real para o problema”, recordou. “Todos eles nos diziam que ela iria morrer””.

Ana
Fica uma grande saudade.

Quando a levaram à clínica de Nuno Paixão, um veterinário na Caparica, conseguiram chegar a um diagnóstico: Ana tinha um problema congénito no coração que fazia com que o sangue não fosse bombeado corretamente. “Por causa disso, o corpo dela retém líquido e faz pressão nos pulmões e outros órgãos, o que podia causar uma eventual asfixia”, sublinhava Alice em dezembro passado. Depois de lhe ter sido retirado “quase um litro” de líquido da pleura, e de ter continuado a tomar medicação para controlar o problema, em maio deste ano chegaram as boas notícias: pela primeira vez, não tinha detetado líquido nos seus pulmões. Infelizmente, o seu coração falhou muito cedo.

“Viverás para sempre nos nossos corações”

“A Ana foi uma guerreira, lutámos muito com ela e por ela, para que vivesse mais tempo, para que pudesse crescer, ser feliz, ter amigos, brincar… no final conseguimos que fosse ajudada a nível veterinário, que recebesse a medicação adequada para aumentar a sua longevidade, e por um ano e meio, conseguimos. Até ontem, quando o seu coração, que já tinha nascido deformado, decidiu parar de bater”, diz a organização numa outra publicação com um vídeo da porquinha.

E fica a promessa: “Aninha, nossa linda princesa, podes ter deixado este corpo, mas jamais desaparecerás das nossas vidas e do espírito de tantas e tantas pessoas que te amam… viverás para sempre nos nossos corações e na nossa memória. Até já, meu amor”, remata. Percorra a galeria para conhecer o casal de porquinhos apaixonados e cujo amor nunca será esquecido – e leia também as histórias de Alma e Valente, ambos salvos pela Animal Save & Care Portugal.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT