Animais

Associação salva quase 100 gatos de criador ilegal. “Não receberam qualquer cuidado”

São quase todos bebés Ragdoll. Estavam em "péssimas condições" e estão a receber cuidados antes de estarem para adoção.
São adoráveis.

Bastaram dois telefonemas para a Sociedade para a Prevenção da Crueldade contra os Animais (SPCA) desvendar uma tragédia prestes a acontecer. A organização foi contactada por duas testemunhas diferentes mas que tinham a mesma história para contar. E quando investigou a estranha coincidência, acabou por salvar não apenas um, mas 92 gatos da raça Ragdoll de condições miseráveis.

Tudo começou quando os dois tutores, que haviam comprado gatos bebés ao mesmo criador, perceberam mudanças na saúde dos filhotes, que ficaram gravemente doentes. E quando contactaram a SPCA do estado norte-americano da Pensilvânia, os funcionários já imaginavam com o que estavam a lidar. Afinal, não era a primeira vez — nem, provavelmente,  a última.

Quando chegaram a casa do criador, a equipa encontrou um cenário “preocupante”. Além do próprio espaço apresentar “péssimas condições”, muitos dos animais também estavam em mau estado e com diversos problemas de saúde. “As condições eram imundas, alguns tinham os pelos cobertos de lixo e os narizes e olhos cheios de secreções”, avançou a organização de resgate.

Para evitar gastos veterinários, o criador não procurou qualquer ajuda para os animais. Em vez disso, resolveu tratá-los com as próprias mãos. Contudo, nada correu bem e agora está a ser investigado por crueldade e negligência animal. Os 92 gatos foram transportados para a sede da PSPCA que está a oferecer-lhes os cuidados de que precisam antes de serem colocados para adoção.

“Esperamos conseguir um capítulo mais feliz na vida desses animais”, frisou Gillian Kocher, porta-voz da organização, à FOX News. “Eles foram usados ​​para obter lucro e não estavam a receber o amor ou os cuidados que mereciam. Por isso, agora esperamos poder dar-lhes isso, não apenas para que se recuperem, mas para que possam encontrar lares amorosos”.

Casos como esses são comuns em todo o mundo, ainda mais numa altura que os canis e associações estão super lotados e o número de abandonos continua a aumentar. Até ao momento, a organização conseguiu arrecadar 940 dólares americanos (896€, à taxa de câmbio atual) para os cuidados dos 92 felinos.

“É muito difícil colocarmos isso em perspetiva porque estamos constantemente a atender pedidos”, lamentou Gillian. “Acho que o problema, infelizmente, é muito grande. Gostamos de pensar que estamos a fazer um trabalho importante, mas nunca chega ao fim porque no dia seguinte recebemos outra denúncia”.

A porta-voz aproveitou a situação para fazer um apelo ao público para proteger e continuar a apoiar os animais. “Nós precisamos mesmo que a população denuncie situações como essas, adote um animal, doe ou apenas partilhe o nosso trabalho porque é muito importante”, referiu. “Não estaríamos aqui sem vocês”.

Os patudos serão colocados para adoção no site da organização assim que receberem alta veterinária. “Não há melhor amor do que aquele oferecido por um animal de abrigo”, conclui.

Carregue na galeria para conhecer alguns dos gatos resgatados.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT