Animais

Atenção Porto, o IRA está a chegar para salvar mais animais

Delegação distrital na Invicta vai arrancar. Potenciais irados já apresentaram as candidaturas.
IRA em ação.

Depois de, há um ano, o grupo IRA – Intervenção e Resgate Animal ter anunciado que estava à procura de um espaço para a a criação da sua delegação distrital no Porto, a chegada à Invicta está para breve.

“Precisamos para a sede no Porto: empresa/particular que realize limpeza de obras/remodelações; empresa que instale CCTV, Intrusão e CDI; empresa de decoração em vinil para a futura montra e fachada; empresa de montagem de grades de montra. Tudo isto é para ser orçamentado para a nossa futura sede em Campanhã – Porto”, escreve o IRA numa publicação no Instagram.

A organização de deteção, planeamento, resgate, reabilitação, adoção e intervenção em cenários de emergência anunciou em setembro do ano passado que iria fazer várias visitas à cidade do Porto com o objetivo de localizar um espaço adequado à implementação da delegação distrital. “Quando ficar definido o local onde vai ser implementada a nossa sede no distrito do Porto, daremos abertura às candidaturas para voluntários IRA”, disseram então os elementos da organização, rematando com um “até já, querido povo do Norte”.

O IRA, que se apresenta como uma organização “a salvar vidas em Lisboa, ilha de São Miguel e brevemente no Porto”, faz resgates de animais em risco e ajuda em cenários de incêndios e também de guerra, como aconteceu quando se deslocou à Ucrânia para trazer famílias de refugiados e os seus animais.

A notícia de que está para breve a fixação no Porto foi aplaudida nas redes sociais. “Está a acontecer!!! Está a chegar a salvação!”, escreve uma seguidora do Instagram. “Parabéns por mais uma conquista”, diz outra.

Também no Facebook as reações estão a ser de alegria. E solidariedade: “se necessitarem de ajuda, disponham sempre. Que o início das atividades no Porto seja para muito breve, IRA. Há por aqui muitos irados/as, e a Invicta tem tradição de interajuda e solidariedade”, sublinha uma seguidora, enquanto outra apela às empresas da zona: “Empresas do norte, vamos lá ajudar o IRA”.

No passado dia 4 de agosto, o IRA anunciou o arranque da fase de recrutamento, que se estendeu até meio do mês. “Vimos por este meio comunicar que estão abertas as vagas para integração das equipas de resgate e pós-resgate no IRA – Delegação Porto”.

Para os interessados em fazer parte da equipa, eram vários os requisitos: robustez física; idade entre os 22 e os 40 (limite 45 anos para elementos das forças de segurança ou militares no ativo); carta de condução; registo criminal sem antecedentes criminais; e ter pelo menos 1,65 m de altura para os candidatos masculinos e 1,60 m para os candidatos femininos.

Os candidatos selecionados vão ser agora chamados para prestarem as provas físicas de admissão.

Apelo a famílias de acolhimento remunerado

O IRA tem também apelado, no âmbito da sua intervenção, a Famílias de Acolhimento Remunerado (FAR) para ajudarem temporariamente os animais que a organização tem a cargo.

“Todas as despesas inerentes ao animais são da nossa responsabilidade. As FAR apenas providenciam o alojamento, passeios, brincadeira e carinho aos nossos animais resgatados”, referem os elementos do IRA, salientando que pagam 75€ por mês.

Idealmente, preferem na zona da Grande Lisboa, mas também irão considerar municípios vizinhos. “Os candidatos deverão contactar-nos pelo e-mail (geral@nira,pt) indicando nome e morada completos, contacto telefónico e espécie animal que pretendem alojar – cão ou gato. É desta forma que nos podem ajudar a fazer mais e melhor”, rematam.

Percorra a galeria para ver algumas fotos do IRA em ação.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT