Animais

Cães farejadores são usados para detetar pessoas infetadas com Covid-19

Os animais treinados por cientistas finlandeses mostraram resultados positivos nos testes em laboratório com amostras do vírus.
Os cães diferenciaram amostras da pele de pacientes com Covid-19.

Quatro cães farejadores foram treinados por uma equipa finlandesa para detetar pessoas infetadas com Covid-19. Os resultados obtidos em laboratório foram positivos.

Os animais utilizados já têm um passado ligado à deteção: Rele e Kosti descobrem bens perigosos, Silja sinaliza narcóticos e E.T. descobre cancro canino. Foram todos ensinados a diferenciar pelo olfato amostras da pele de pacientes infetados.

Apesar de o teste feito em laboratório ter corrido bem, um outro realizado no aeroporto internacional de Vantaa, na Finlândia, já não teve resultados tão animadores. No entanto, a equipa liderada por Anu Kantele tenciona repetir a ação, mas numa altura em que estejam presentes mais passageiros.

“Estes cães podem ser usados tanto em sítios com alta prevalência do vírus, como hospitais, para pré-diagnóstico de pacientes e funcionários; como em locais de baixa prevalência, como aeroportos. Isto poderia poupar tempo e recursos”, acredita Kantele, investigadora da Universidade de Helsínquia.

De acordo com os dados preliminares publicados na revista científica BMJ Global Health, quando existir uma elevada prevalência do vírus na população (40%), os cães farejadores aumentam em 90% as hipóteses de deteção.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT

-->