Animais

Cão de Joe Biden já mordeu sete agentes do Serviço Secreto em quatro meses

Foram relatados dez incidentes e uma das vítimas foi para hospital. A família quer apostar em mais treinos para o Pastor-Alemão.
Tem cerca de dois anos.

Commander está a seguir os passos de Major. O Pastor-Alemão de um ano e dez meses envolveu-se em 10 incidentes de mordidas, incluindo um que exigiu que um agente fosse a um hospital local, num período de quatro meses. Os dados foram partilhados numa série de e-mails obtidos pelo grupo conservador Judicial Watch, por meio de solicitações da Lei de Liberdade de Informação.

Em 2021, Major, o cão mais velho da família e da mesma raça, foi viver com amigos do presidente norte-americano, Joe Biden e da primeira dama, Jill Biden, em Delaware, após ter mordido a mão de um agente dos Serviços Secretos. Agora, é Commander que está a dar o que falar.

O cão chegou a Casa Branca em 2021 e em novembro passado, uma das vítimas teve de ser encaminhada para o hospital depois do Pastor-Alemão ter mordido o seu braço e coxas. Outros incidentes aconteceram quando o patudo estava a andar pela propriedade sem trela e num deles, Jill Biden “não conseguiu recuperar o seu controlo” quando atacou um dos agentes.

“O complexo da Casa Branca é um ambiente único e muitas vezes stressante para os animais de estimação da família. A Primeira Família está a procurar formas de melhorar essa situação para todos”, disse Elizabeth Alexander, diretora de comunicações da primeira-dama, numa conferência.

Elizabeth disse ainda que o presidente norte-americano está a trabalhar em parceria com as equipas do Serviço Secreto e da Residência Executiva para implementar “protocolos e treinos adicionais de controlo, além de estabelecer áreas próprias para Commander andar e exercitar-se”. “O presidente e a primeira-dama são incrivelmente gratos aos funcionários do Serviço Secreto e da Residência Executiva por tudo o que fazem para manter as suas famílias e o país seguros”, acrescentou.

Commander é o segundo Pastor-Alemão da família e foi oferecido a Biden pelo seu irmão, na altura do seu 79.º aniversário. Já Major, foi o primeiro cão resgatado a viver na Casa Branca antes de ter de sair da propriedade. Além dos canídeos, há ainda a gata Willow, batizada em homenagem a Willow Grove, a cidade natal de Jill Biden no estado norte-americano da Pensilvânia.

A felina pertencia ao agricultor Rick Telesz e durante uma visita da primeira dama na cidade, a tutora apaixonou-se pela gata. Dias depois, fez um telefonema a Rick para pedir a sua adoção. Willow, diferente dos “manos”, ainda não foi protagonista de incidentes negativos no novo lar. Pelo contrário, a gata é tranquila e até celebrou o Natal passado em grande estilo: ganhou uma caixa de brinquedos e decorações inspiradas na família de quatro patas.

Carregue na galeria para conhecer alguns dos animais da Casa Branca.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT