Animais

Dos pequenos aos gigantes. Eis as 10 raças de cães mais caras do mundo

Não importa a raça ou o tamanho — são todos os melhores amigos do Homem. Mas ainda há quem opte pela compra (e não são baratos).
O Samoieda lidera.

Os animais não têm preço, mas alguns valem mesmo muito dinheiro — seja pela linhagem que carregam, as características ou simplesmente pela raridade da sua existência. Há quem seja contra a sua venda, mas outros defendem que sem os criadores responsáveis, as raças deixariam de existir.

Ainda assim, é importante ter em mente que os abandonos continuam a ser uma constante, e são muitos os animais (muitos deles de raça) que esperam uma primeira, segunda ou até terceira oportunidade de serem felizes nas milhares de associações espalhadas pelo mundo.

Independentemente das opiniões e da importância para a sensibilização da adoção responsável, há quem continue a optar pela compra de raças específicas por motivos diversos: por gosto, alergias, beleza, status, segurança, entre outros. 

Os cães que hoje são vendidos pelos criadores nacionais e internacionais têm valores diversos, que variam mediante a fatores externos e internos — país, linhagem, família, características, etc. Há ainda exemplares que alcançam preços exorbitantes, mas que não passam de uma exceção dentro da raça. É o caso de Hayder, um Pastor do Cáucaso que vale dois milhões de euros, e de Rope Daddy, o Bulldog que vale 112 mil euros. 

É importante, no entanto, explicar por que razão os cães de raça que nascem em família de criadores certificadas têm os preços que têm. Independentemente de a criação ser um negócio para quem a faz de forma legal e certificada, são muitas as despesas a ter em conta por parte de criadores responsáveis, que investem significativamente na seleção genética para garantir que os filhotes atendam aos padrões da raça. 

  • Além disso, criadores responsáveis realizam uma série de testes de saúde nos seus cães reprodutores para evitar a transmissão de doenças genéticas. Esses testes podem ser caros, mas são essenciais para garantir a saúde dos filhotes. Por outro lado, manter um canil de alta qualidade envolve despesas consideráveis com alimentação, cuidados veterinários, vacinas, abrigo adequado, socialização e cuidados diários dos animais.

  • Há ainda a documentação oficial. Criadores de cães de raça geralmente registam os seus cães em clubes e associações de criadores, como o Clube Português de Canicultura. Esses registos envolvem taxas e documentação detalhada sobre a linhagem dos cães.

  • Criar cães de raça é um trabalho que obriga muito tempo e dedicação. Os criadores devem estar disponíveis para o parto, cuidados com os filhotes e socialização adequada. Além disso, a criação responsável implica em garantir que cada filhote seja colocado num lar adequado, o que requer entrevistas e avaliações dos potenciais donos.

A PiT juntou uma lista de dez raças mais caras do mundo que vão desde os cães mais pequenotes (com seis quilos) aos grandalhões, que ultrapassam os 50. Percorra a galeria para conhecê-las. 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT