Animais

Esta associação quer construir infantários para salvar a vida de gatos-bebés

A Gatos do Jardim sonha em avançar com o projeto. Mas tem um ultimato — tem de o fazer até ao fim do ano e precisa de ajudas.

Os números não mentem: há quase um milhão de animais errantes a viver na rua em Portugal e a grande maioria são gatos. Os programas de CED (Captura, Esterilização e Devolução) não chegam a todos e, embora a iniciativa seja importante para controlar as populações de felinos silvestres, a verdade é que 88 por cento destes animais vadios não apresentam qualquer sinal da intervenção, segundo aponta o primeiro censo sobre o assunto, lançado este ano.

A falta de controlo reflete-se em ninhadas que não chegam ao fim — e as associações já não têm mais capacidades para todas elas. Além disso, aquelas que são acolhidas, vivem em jaulas (sozinhas ou com as progenitoras) até aos dois meses, e raramente recebem os estímulos ou qualidade de vida necessários. É precisamente aqui que a Gatos do Jardim quer fazer a diferença.

A associação em São Pedro do Estoril, no concelho de Cascais, está há dois anos a tentar juntar as verbas para avançar com um projeto que acredita ser essencial para melhorar a qualidade de vida de gatas-mamãs e dos seus filhotes — a criação de um infantário para as famílias de quatro patas viverem os primeiros dois meses longe de jaulas e com qualidade de vida.

“Isso surgiu da necessidade absurda que temos por mais espaço”, começa por contar à PiT Inês Neuparth, fundadora do espaço. “Estamos a abarrotar de bebés, quase 50 e na passada semana deixaram lá mais sete filhotes e três mamãs”, lamenta a protetora, de 60 anos. Apesar de muitos adotantes preferirem os filhotes, as famílias humanas não chegam para a quantidade de bebés. E alguns acabam por nunca saírem da associação.

A Gatos do Jardim candidatou-se a um projeto do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) que apoia financeiramente as associações, mas Inês explica que o valor não é “nem metade” do que precisam e tem outro problema: “Se não tivermos o projeto pronto até ao final do ano, temos de devolver o dinheiro”.

Os donativos podem ser feitos através de uma angariação de fundos criada pela associação, que visa juntar 15 mil euros. Outros alternativas são o IBAN (PT50 0033 0000 45496308089 05), MbWay (936216522) ou paypal (gatosdojardim@nullgmail.com).

A ideia consiste na construção de oito espaços de infantários para bebés órfãos ou ninhadas com a progenitora. “É um projeto essencial para a sobrevivência dos gatinhos recém-nascidos e para o seu bem-estar na fase mais crítica do seu crescimento”, garante. “Este projeto dedica-se a salvar a vida dos bebés, centrando-se no cuidado de recém-nascidos órfãos e gatinhos com necessidades médicas”.

Todos os infantários serão equipados com incubadoras e outros equipamentos necessários para cuidar das crias que precisam de ser alimentadas a biberão. Pode acompanhar a associação através das páginas de Facebook e Instagram.

A seguir, carregue na galeria para conhecer algumas famílias e gatos-bebés resgatados pela Gatos do Jardim (muitos ainda esperam por um lar).

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT