Animais

Esta Podengo passou mais de um ano a viver na escuridão. Viu agora a luz do sol

A cadela pertencia a uma acumuladora e ainda vive numa loja fechada em Bragança. Está à procura de um lar urgente.
Tem cinco anos.

A situação é de partir o coração. Uma cadela de cerca de cinco anos foi encontrada, juntamente com outros 16 animais, a viver em condições miseráveis numa aldeia no concelho de Carrazeda de Ansiães, distrito de Bragança. Os cães pertenciam a uma acumuladora que supostamente foi viver com a filha há cerca de três meses.

A Podengo vive “há mais de um ano” numa loja fechada, onde não tem acesso ao exterior, nem mesmo a uma nesga de luz. Esta segunda-feira, 8 de abril, saiu para o primeiro passeio e não conteve a alegria. No entanto, voltou para o mesmo sítio porque “não há espaço para ficar”. A cadela, que ainda não foi batizada pelos voluntários, “é uma doçura” e está á procura de uma família de acolhimento temporário ou um lar definitivo urgente.

Dos quase 20 animais, a Aldeia Verde — Associação Ambiente, Património e Cultural conseguiu retirar apenas quatro. “As autoridades foram alertadas há um ano, e continuam pelo menos sete cadelas por esterilizar”, lamenta à PiT uma voluntária.

O projeto teve conhecimento da situação há um ano, quando foi contactado por uma testemunha para ajudar os animais sob os cuidados da acumuladora. No entanto, há cerca de três meses, a responsável foi viver com a filha e deixou os cães com uma vizinha.

“Há animais não socializados a viverem em lojas, cadelas para serem esterilizadas e uma ninhada. Não está a ser fácil”, partilha. “Precisamos de ajuda de outras associações ou pessoas que possam receber alguns”. Entre os animais, foi encontrado também um Pastor-alemão de pelo comprido e vários cachorros. Apenas um foi adotado até então.

Para apoiar o projeto, pode enviar ajudas através do MbWay (969886944). Caso tenha interesse em adotar a Podengo ou outros animais a correrem risco de vida, pode entrar em contacto com a Aldeia Verde através da página do Facebook ou Instagram.

De seguida, carregue na galeria para conhecer a patuda e alguns dos animais ajudados pelo projeto.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT