Animais

Este cão tenta conquistar o gato da família há dois anos. E está quase lá

Desistir não está no dicionário de Beau. Pela primeira vez este ano, o Samoieda conseguiu adormecer ao lado do "irmão" felino.
A dupla improvável. E difícil.

As amizades improváveis são cada vez mais comuns no reino animal. São muitas as histórias que vemos diariamente sobre companheirismo entre animais que antes eram vistos como inimigos mortais. E os cães e gatos estão no topo da lista. No entanto, para Beau, um Samoieda, não é assim tão fácil quanto parece.

Quando chegou na casa dos tutores Amanda e Luke, ainda bebé, logo se interessou pelo gato da família: Earl, um Scottish Fold. “A primeira vez que ele o viu, não conseguia controlar-se”, disse ao The Dodo o tutor. O pequeno cão ficava eufórico na presença do felino, que não demonstrava nem metade do mesmo entusiasmo. E era só o começo.

Mesmo com o comportamento agressivo do gato, o cão não desistiu. Hoje, dois anos depois de ter chegado ao novo lar, Beau ainda está a tentar conquistar o felino. “Ele nunca parou de tentar, acho que tentou umas mil milhões de vezes. É impossível quantificar o quanto ele quer estar próximo de Earl. Numa escala de zero a dez, eu diria infinito”, brinca Amanda.

O cão parece não entender a independência do gato (ou simplesmente não se importa). Aonde quer que Earl esteja, Beau sempre estará por perto e às vezes, nem o espaço pessoal do felino é respeitado. “Beau está disposto a ir além as montanhas para Earl. Mas não é nada mútuo”, realça. “Ele provavelmente vê Beau como um colega de trabalho irritante que não o deixa em paz”.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Beauford the Samoyed (@beauthesammy)

Ainda há esperanças para Beau

Após perceberem que Beau não estava a conquistar a tão desejada amizade, os tutores tomaram uma decisão: compraram um peluche em forma de gato cinzento, como Earl, para tentar animar o cão.  “Quando ele percebeu que o peluche parecia com o seu amigo, sentiu-se bastante intrigado. Obviamente não ia substituir Earl, mas esperávamos que desse a ele um pouco dessa companhia felina”, contou a tutora Amanda. Certo dia, porém, tudo mudou.

Foram dois anos de muita luta, mas agora parece que o Samoieda está mais perto do que longe. Este ano, Beau e Earl foram vistos a dormir próximos um do outro pela primeira vez. Certo dia, o gato até deixou o cão aproximar o focinho sem reagir. E o momento foi quase histórico.

“Quando vimos Earl a esfregar-se em Beau pela primeira vez, sentimos que havíamos ganhado uma mini lotaria. Acho que foi uma mudança em ambos os lados, estavam a começar a acostumar-se um ao outro”, partilhou a tutora. “Acho que Earl acabou por desistir e dizer ‘Ok, este cão vai estar presente na minha vida quer eu goste ou não'”.

A verdade é que nem todos os dias são uma conquista para o cão. Por vezes, o gato ainda dá bofetadas e mostra os dentes para Beau (mas talvez seja assim que demonstra o amor pelo irmão). Ainda assim, os tutores sentem-se realizados pelas pequenas conquistas e frisam que apenas “vê-los coexistir juntos já é um alívio”.

Percorra a galeria para ver a amizade da dupla.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT