Animais

Gato comunitário perde peso após cartaz engraçado feito em universidade

Cheeto é a mascote do espaço e estava acima do peso após receber vários mimos dos estudantes. Teve de mudar de vida.
É muito querido.

“Por favor, pare de alimentar este gato” foi o suficiente para mudar a rotina de Cheeto. O gato rechonchudo é a mascote da Universidade da Califórnia em Davis (UC Davis), nos Estados Unidos, e, como é de se esperar, é mimado não por um estudante, mas sim, milhares deles. O problema é que acabou por ganhar peso demais e teve de adotar um novo estilo de vida.

O Departamento de Física e Astronomia, responsável pelo felino, foi obrigado a colocar diversos cartazes espalhado pela universidade para controlar a dieta do patudo — que não gostou nada. Em 2019, Cheeto estava quase obeso e um dos hilariantes cartazes chamou a atenção. Neste, havia uma foto do felino com várias setas vermelhas e a frase “Por favor, pare de alimentar este gato”.

O gato ruivo é alimentado todas as manhãs pelo seu tratador. Contudo, estava sempre a receber mimos dos estudantes durante o dia, o que acabou por piorar o seu estado. “Para a saúde dele, por favor, não o alimente — não importa o quanto ele implore. Ele certamente irá, porque sabe que somos todos idiotas”, brincou a UC Davis numa publicação. 

Em 2020, Cheeto iniciou a sua campanha de perda de peso e graças à pandemia, com os estudantes em casa, conseguiu alguns avanços. Já no ano seguinte, os seus responsáveis colocaram novos cartazes com informações sobre a obesidade em gatos e atualizações sobre a mascote. Este ano, atingiu o peso ideal.

“Por favor, pare de alimentar este gato”.

Cheeto foi encontrado quando ainda era bebé próximo do edifício de artes da universidade. À revista “Newsweek”, Richard Scalettar, professor de física, partilhou que o gato foi salvo por um grupo de artistas e batizado de Tangelo. Já a sua irmã da mesma cor, de Clementine. Contudo, a sua vocação não era artes.

De acordo com a teoria do lado esquerdo ou direito do cérebro, isto é, qual deles é mais avançado em cada pessoa, Cheeto acabou por ir para o outro lado da universidade. Os cuidadores acreditam que o seu lado esquerdo é mais desenvolvido e, sendo este descrito como “mais verbal, analítico e organizado”, foi em física que encontrou o seu futuro.

Por outro lado, não é o único animal da universidade. “Mas é o favorito e está sempre a aparecer nas redes sociais dos estudantes”, explicou Richard. O espaço já chegou também a batizar novos centros na faculdade em homenagem às antigas mascotes. O Café Walter, por exemplo, leva o nome de Walter, um gato silvestre que gostava de ficar próximo ao teatro. O felino acabou por morrer em 2018.

Hoje, são vários os gatos vadios que lá andam, mas nenhum tem a mesma fama do que Cheeto, que até a própria página no Instagram com quase 11 mil seguidores. Afinal, é um exemplo da perda de pesa.

Carregue na galeria para conhecer o rechonchudo.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT