Animais

Gato é adotado por rebanho de capivaras e vive como se fosse uma delas

Oyen invadiu o espaço dos roedores e escolheu a sua própria família. Já vivem em harmonia há três anos e são inseparáveis.
É adorável.

Há amizades improváveis que conquistam qualquer um — ainda mais aquelas que juntam um predador e uma presa. É o caso de Oyen, um gato alaranjado que perdeu a família e encontrou um porto seguro ao lado de um grupo de capivaras, a maior espécie de roedores do mundo. O felino apareceu no Jardim Zoológico de Negara, na Malásia, durante a pandemia e nunca mais saiu de lá.

“Quando o descobrimos pela primeira vez, vimos que ele era muito amigo das capivaras. Davamo-lhes pão e ele comia com elas”, disse Mohd Taufik Yazid Bustami, cuidador no Zoo Negara, à agência de notícias Bernama. Na altura, os funcionários só iam até o espaço para alimentar os animais visto que devido as restrições, não podiam abrir ao público. E Oyen aproveitou a tranquilidade para encontrar um lar.

Embora não saibam da onde o intruso veio, os tratadores acreditam que o felino tenha sido abandonado próximo ao jardim zoológico — o que não seria a primeira vez. Antes da pandemia, vários gatos eram deixados próximo ao parque e com o regresso à normalidade, ainda mais animais foram abandonados lá. No entanto, outra possível explicação é que Oyen tenha perdido a mãe.

“Ele está muito feliz”, frisou. “Depois da reabertura do zoológico, o público apercebeu-se que ele come com as capivaras e Oyen agora é muito famoso”, acrescentou. Em junho, depois de quase três anos a viver com as companheiras e conquistar os visitantes, o zoo resolveu fazer uma surpresa para o felino: uma placa com o seu nome.

@znmzoonegara Haaa oyen pun dah ada signage sendiri 🔥 Mungkin next Roren kita pulak? Korang belum kenal Roren kan 😉 #oyen #oyenbarbar #masbro #capybara #zoonegara #zoonegaramalaysia #zoonegaramalaysia2023 ♬ girls like me don’t cry (sped up) – thuy

A amizade está a ajudar o zoo a pagar as contas

Quando os funcionários do jardim zoológico perceberam que Oyen estava lá para ficar, ficaram preocupados com o seu contacto com as capivaras. Afinal, qualquer animal vadio pode apresentar uma ameaça para os residentes e o seu bem-estar é a prioridade. Contudo, Rahmat Ahmat Lana, vice-presidente do Zoo de Negara, garantiu que ambas as espécies estão saudáveis, não apresentam sinais de stress e são diariamente monitorizadas.

Além do adorável companheirismo que criaram, a amizade do gato com os roedores gigantes, está a ajudar o zoo a receber mais visitas. “A maioria dos visitantes conhecem Oyen. Eles vêm, muitos deles, só para tirar fotos suas com as capivaras. Mas nem sempre conseguem. Se tiverem sorte e vierem na hora do makan [alimentação], conseguem tirar algumas”, explicou. Todos os dias, os animais comem às 9h30 e às 14h30.

Em 2020 e 2021, com as restrições da pandemia, os números de visitas desceu de 350 mil para 182 mil por ano. No ano seguinte, com o gradual regresso à normalidade, o zoo recebeu mais de 430 mil pessoas, ultrapassando os números pré-pandémicos. “Queremos que mais pessoas continuem a vir porque precisamos pagar pelas exposições e a manutenção do espaço e dos animais”, referiu.

Outro problema enfrentado pelo jardim zoológico é a controvérsia que envolve a sua existência. Muitos ativistas acreditam que espaços como este estão a explorar os animais que merecem liberdade. No entanto, muitos especialistas defendem os zoos como lugares essenciais para a sobrevivência e conservação de várias espécies ameaçadas de extinção.

“Temos de conservar a anta e os tigres, por exemplo. A preocupação e a consciência das pessoas com a nossa fauna ainda é muito baixa, por isso, os humanos ainda têm conflitos com animais como os elefantes e os tigres”, sublinhou o professor Ahmad Ismail da Malaysian Nature Society.

Carregue na galeria para conhecer Oyen e a sua família de capivaras.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT