Animais

IRA resgata 7 animais em estado extremo e pede ajuda. “Estamos no limite”

Um deles não resistiu. A organização está à procura de FAT ou FAD para os vários cães e gatos que tem salvo recentemente.
Um dos animais salvos esta semana.

A semana começou com toda a força para o grupo de Intervenção e Resgate Animal (IRA). A organização salvou seis cães “totalmente esqueléticos” esta segunda-feira, 20 de novembro, após ter conhecimento das condições miseráveis em que eram mantidos. O sétimo patudo não resistiu e morreu de fome e sede.

“Devido à gravidade da situação, juntou-se uma segunda equipa do IRA com uma patrulha da GNR, ao grupo que já se encontrava junto dos animais”, começou por escrever. “Os militares da GNR estão igualmente chocados com o estado dos animais e já nos encontramos a realizar diligências para que o responsável se desloque imediatamente ao local”.

Os sete cães eram mantidos em canis improvisados cheios de fezes e urina, com ausência de qualquer tipo de comida ou água disponível. “O responsável afirmou ter conhecimento e consciência da gravidade da situação, sem nunca ter referido ou solicitado auxílio para garantir o bem-estar dos animais”, acrescentou.

Enquanto era questionado pelas autoridades, o detentor teve uma crise convulsiva e o IRA avançou que os seus voluntários prestaram os primeiros cuidados até à chegada do INEM. Em seguida, este foi transportado para o Hospital do Barreiro “enquanto as diligências e recolha dos animais prosseguiam”.

“Estamos novamente no limite da nossa capacidade de atuação”

O resgate decorreu até a uma da manhã desta terça-feira, 21 de novembro, e os cães, alguns deles de raça, já estão a receber os devidos cuidados. “Não há nem nunca aceitaremos justificação para situações como esta. Tal como esperamos que nenhum tribunal veja isto de forma leviana”, frisou o grupo de resgate. “Uma vez mais o nosso dia-a-dia obriga-nos a ser um milagre antes que estes animais suspirem uma última vez”.

Nos últimos dias, foram muitos os animais recolhidos pelo IRA, que recorreu às redes sociais para fazer um apelo aos portugueses. A organização está a precisar urgentemente de famílias de acolhimento definitivo (FAD) ou famílias de acolhimento temporário (FAT). “Dado o elevado número de resgates e animais resgatados, estamos novamente no limite da nossa capacidade de atuação”, avançou.

Caso tenha interesse em acolher um dos cães ou gatos da organização, pode entrar em contacto através do site do IRA. Já os donativos, podem ser enviados através deste link.

Carregue na galeria para conhecer os animais recentemente salvos pelo IRA.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT