Animais

IRA resgata cão de fogo posto em Rio Tinto. Labrador perdeu os amigos

Num contexto de crime passional, dois outros patudos não tiveram a mesma sorte e morreram. Rocky precisa de amor e acolhimento.
Rocky tem seis anos.

O grupo Intervenção e Resgate Animal (IRA) não tem tido mãos a medir. Além do auxílio que presta perante acidentes ou desastres naturais – como incêndios, sismos ou inundações –, tem sido crescente a sua atuação em casas de particulares devido a denúncias sobre maus-tratos a animais, sobretudo cães. Na passada quinta-feira, 18 de abril, o seu núcleo do Porto foi chamado a ajudar na sequência de um incêndio na Areosa – Rio Tinto, no concelho de Gondomar. Quando a equipa lá chegou, já nada havia a fazer por dois dos cães, mas um tinha sobrevivido e era preciso protegê-lo. E foi isso que o IRA fez, ao responsabilizar-se pelo seu acolhimento.

“Uma equipa do IRA – Porto foi acionada para um incêndio com três animais, numa habitação, sendo que dois deles não sobreviveram e um foi resgatado com vida – após inalação de fumos – pelos bombeiros da Areosa – Rio Tinto”, explicou o grupo numa primeira publicação, na quinta à noite, a dar conta do sucedido.

Nesse mesmo post, o IRA revelou que o incêndio tinha sido causado pelo detentor dos animais numa presumível tentativa de suicídio. “A equipa do IRA deslocou-se ao local para transportar de urgência o canídeo, de nome Rocky, a um centro veterinário, a fim de ser examinado. Um dos animais falecido tinha o maxilar partido, podendo enquadrar um crime de maus-tratos anterior à ocorrência de hoje”, sublinhou.

O tutor dos animais foi socorrido pelos bombeiros da Areosa e deu entrada nas urgências após paragem cardiorrespiratória. Também a sua mulher estava hospitalizada –após ser agredida com um martelo, num episódio de violência doméstica ocorrido dois dias antes, explicou o grupo de resgate.

IRA responsável por Rocky enquanto decorrem investigações

“O animal ficará à guarda da nossa instituição enquanto decorrerem as investigações policiais. Além dos operacionais dos Bombeiros da Areosa – Rio Tinto, estiveram presentes também agentes da PSP de Rio Tinto e inspetores da Polícia Judiciária”, contou ainda.

Na sexta-feira chegava a atualização, com as desejadas boas notícias sobre o patudo, que está livre de perigo. “Ontem, o menino Rocky perdeu dois irmãos, perdeu o seu lar, quase perdeu a vida e os seus dois detentores estão ambos hospitalizados por um crime passional. O Rocky foi visto e está livre de perigo, apesar da inalação de fumos, graças à rápida intervenção dos Bombeiros Voluntários da Areosa – Rio Tinto”, informou o IRA.

O grupo apela, agora, a uma Família de Acolhimento Temporário (FAT) para Rocky, um Labrador com seis anos. “É muito meigo, sociável, desafortunado mas muito carinhoso”, diz o grupo.

Se tem disponibilidade e condições para acolher este patudo tão sofrido, que repentinamente perdeu todas as suas referências, basta contactar o IRA. “Quem puder acolher temporariamente este barril de ternura, envie mensagem privada ou e-mail para geral@nullnira.pt”, apela o grupo de resgate.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT