Animais

McDonald’s faz lanche especial para Teckel com cancro terminal. “Adorou a refeição”

A cadela está a comer tudo o que não podia antes para ter "o melhor final de vida de sempre". Recebeu um mimo dos funcionários.
Goob é muito amada.

Quando Stacey parou num drive-through do McDonald’s a caminho da casa da mãe em fevereiro, decidiu fazer um pedido pouco comum: um Happy Meal com nuggets sem molho, um hambúrguer sem pão, fatias extras de maçã e um copo com gelo e água. Apesar de estranharem, os funcionários fizeram tudo como a estudante pediu e quando finalmente viram quem era a destinatária, foi impossível não sorrir: uma cadela Teckel.

“Acho que pensaram que eu era uma mãe muito específica ou talvez tivesse um filho exigente”, disse a tutora à revista “Newsweek”. Mas assim que o funcionário que a atendeu viu Goob sentada no banco do pendura, decidiu colocar “um nugget extra” e assim, criou o “McGooby Meal”, um lanche especial só para ela.

A Teckel foi diagnosticada com cancro no fígado 2023, após ser levada às urgências com sintomas de um problema que a veterinária pensava ser apenas um de alimentação. Depois de vários meses a testar dietas diferentes e sem sucesso, em julho passado, um especialista descobriu o cancro inoperável.

“Nas semanas seguintes, ela piorou a ponto de ter uma consulta de eutanásia marcada porque estava muito doente e com muita dor”, partilhou. Goob foi adotada pelos pais de Stacey em 2018, após um abrigo entrar em contacto com a família (que já lá tinha adotado cães) e partilhar a história da cadela devolvida pelos responsáveis da altura. Desde então, a Teckel vive sempre em duas casas: a de Stacey e a da sua mãe.

Um dia antes de ser levada para ser eutanasiada, Stacey decidiu seguir uma tradição que já fazia com os Beagles da família: oferecer-lhe um saco de Cheetos. A mãe, porém, disse que a Teckel não podia comer muitos, para que “não ficasse doente”.

“Perdi a cabeça, chorei, disse que nada importava e que iria alimentá-la com Cheetos porque não faria qualquer diferença naquele momento”, recordou. Naquele dia, deu tudo o que Goob gostava para que pudesse aproveitar o que nunca teve a oportunidade de comer no seu “último dia”. Contudo, na manhã seguinte, teve uma surpresa: a patuda estava agitada e a família decidiu cancelar a eutanásia.

Goob continua a fazer tudo o que mais gosta

Após tomarem a decisão, a veterinária autorizou a família a fazer tudo o que quiser com a Teckel — desde idas ao Mc Donald’s até comer restos (ou pratos inteiros) de comida em casa. “Quando ela está comigo em Stillwater [Estados Unidos], onde fica a minha universidade, ela adora passear no campus, especialmente ao redor do lago para ver os patos. Há também um pub que aceita cães na cidade”, partilhou.

Já na casa da mãe de Stacey, a patuda adora ir até aos lagos próximos e andar de carro, especialmente a caminho da gelataria favorita. Em ambas a casa, está sempre a receber mimos e adora ficar no sofá, a assistir filmes e comer pipocas.

Desde que partilhou a história da companheira num grupo no Facebook, Goob tem recebido apoios de pessoas do mundo inteiro. Há até quem queira que o McGooby Meeal faça parte do menu do restaurante de fast-food. “Só queremos garantir que tenha o melhor resto de vida de sempre”, frisou Stacey.

A seguir, carregue na galeria para conhecer Goob e recordar a história de Riley, um Dogue Alemão também com cancro terminal que celebrou o Natal mais cedo.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT