Animais

“Não aguentamos mais”. O apelo desesperado de associação de Barcelos

O Grupo de Amigos de Animais da Pousa (GAAP) é composto por três voluntárias que há muito que ultrapassaram os seus limites.
Ajude a ajudar.

As associações da causa animal debatem-se diariamente com novos pedidos de ajuda, ao mesmo tempo que fazem as contas sem saber se conseguem saldar as despesas veterinárias ou assumir novas faturas, por entre medicamentos, ração e tudo o mais que faz falta num abrigo. Os protetores não conseguem virar as costas a um animal que surja a precisar de auxílio – mas pode haver um dia em que percebem que se chegou ao limite. É o que está a acontecer com uma associação da Pousa, em Barcelos – no distrito de Braga.

“Estamos esgotados. Somos apenas três voluntários – tão poucos e com tanto para fazer”, lamenta à PiT uma das responsáveis do GAAP – Grupo de Amigos de Animais da Pousa. As despesas avolumam-se, há falta de braços e também de famílias de acolhimento temporário (FAT), o que está a deixar os protetores desta associação de mãos atadas.

O desespero é grande. “Neste momento, o que mais precisamos é de famílias de acolhimento temporário em Braga ou Barcelos para que o Matias e a Rissol consigam fazer o processo de recuperação mais perto de nós e do hospital onde foram operados”, sublinha a mesma voluntária, referindo-se a dois cães que o GAAP resgatou recentemente e cujas histórias já foram contadas pela PiT.

A associação só conseguiu família de acolhimento no Porto, o que ainda é alguma distância quando todo o tempo conta. “Tem sido muito stressante, porque só conseguimos FAT no Porto e fazer as viagens fica mesmo cansativo para nós”. Além disso, “a Rissol teve que ser operada de novo, porque os parafusos saíram”, explica a mesma voluntária, com desolação na voz. “Ou seja, mais uma conta gigante que vamos ter que pagar. As operações ortopédicas estão a ser muito complicadas para nós”.

Associação pede FAT, donativos e voluntários

Por isso, o mais importante, neste momento, é poderem contar com famílias de acolhimento em Braga ou Barcelos e donativos para cobrirem as despesas para as cirurgias ortopédicas. E se houver quem possa juntar-se como voluntário, isso fará uma grande diferença. “Junta-te a nós Há diversas áreas onde podes ajudar. Online, nas feirinhas, recolhas de alimentos, resgate de animais, alimentação de colónias, fotografar os animais que estão à espera de famílias. Há mil e uma coisas que podes fazer por eles e ninguém te pode substituir. Os animais de ninguém são responsabilidade de todos”, apelou recentemente o GAAP numa publicação no Facebook.

Estes três voluntários não param e nos últimos 15 dias já recolheram também sete gatinhos bebés das ruas e têm apelado continuamente para que os tutores esterilizem os seus animais. Tudo junto, está a ser muito pesado. “Há muito que o GAAP ultrapassou o seu limite. Os últimos casos que socorremos foram casos em que se o animal não fosse resgatado, morria! No último mês foram 12 os animais resgatados só na freguesia de Pousa. Animais atropelados e ignorados, bebés deixados para morrer em sacos, gatas com fetos mortos em trabalho de parto há dias, etc. Todos vítimas de negligência humana”, escreveu a associação num outro post.

“Como dizer que não?”, questiona associação

“Como dizer que não a estes animais? Como ignorar? Não dá. Não é possível. Mas também não é humanamente possível fazermos os esforços que temos feito até aqui. Somos três os voluntários do GAAP. Três, leram bem. Deixamos a nossa vida de parte para dedicarmos o nosso tempo a ajudar animais que alguém decidiu deixar a morrer Casos criminosos! Precisamos de vocês. Por favor, se consideram o nosso trabalho importante, partilhem a nossa página com amigos. Se tiverem um tempo, juntem-se a nós nesta missão!! Se tiver um espaço em casa e conseguir ser FAT de um animal, nós assumimos todas as despesas”, rematam na mesma publicação.

Para que os animais que estão ao cuidado da associação possam continuar a ter tudo aquilo de que precisam, pondere ajudar o GAAP. Seja o que for, faz falta. Percorra a galeria e conheça melhor o Matias e a Rissol, que procuram famílias de acolhimento temporário na zona da associação e que sonham também em vir a ter as suas famílias definitivas.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT