Animais

Não falta amor para cuidar de mais de 400 gatos. Mas falta dinheiro para as dívidas

A Abraços de 4 Patas, do Entroncamento, pede ajuda para saldar as contas veterinárias, que ascendem já aos 2.000€.
Todos contam com a nossa ajuda.

Quando um grupo de amigos dos animais se junta e cria um projeto conjunto para os defender, um dos passos mais importantes está dado. No entanto, a boa vontade não basta para se poder ajudar os animais que diariamente surgem a necessitar de ajuda em todo o país. Daí que a maioria das associações sobreviva com sérias dificuldades, sem apoios públicos e sempre dependente dos donativos de quem acredita no seu trabalho. É o caso da Abraços de 4 Patas, uma associação do Entroncamento que está perante faturas que não está a conseguir saldar.

“A nossa associação foi criada em 2018. Não temos um abrigo, por isso dependemos de famílias de acolhimento temporário (FAT) para ficarem com os gatinhos adotáveis ou que estão doentes e que, por isso, precisam de medicação certa e outros cuidados. Neste momento, temos 24 gatos – e cinco deles doentes, infelizmente – em FAT, e mais cerca de 400 em colónias ao nosso cuidado”, explica à PiT uma voluntária da Abraços de 4 Patas.

São muitos animais, o que faz subir as contas, especialmente quando precisam de cuidados médicos. Atualmente, as despesas veterinárias da Abraços de 4 Patas ascendem já aos 2.000€ e é precisamente esse valor que a associação está a tentar angariar, através de um crowdfunding criado para o efeito na plataforma GoFundMe. “Pedimos a todos os que nos possam ajudar que o façam”, apela a voluntária.

Entroncamento implementou programa CED

E como são geridas as colónias, de modo a que os gatos não se reproduzam de forma descontrolada? Em 2020, a associação e a Câmara Municipal do Entroncamento assinaram um protocolo que visa precisamente o programa CED – captura, esterilização e devolução –, destinado à população felina. “É uma forma de ter as colónias de gatos que existem na cidade com crescimento controlado, devidamente tratadas, vacinadas e acompanhadas”, referiu então o município.

“Todas as nossas colónias são oficiais e identificadas com placa”, explica à PiT a protetora da Abraços de 4 Patas. Quanto aos cães errantes, “infelizmente não temos famílias com a possibilidade de acolher cães, mas tentamos ajudar o mais possível nas situações existentes”, acrescenta.

Na plataforma da angariação de fundos, a associação conta as dificuldades por que está a passar e deixa também os links para algumas das histórias mais críticas de animais que precisaram de cuidados veterinários, como é o caso da Nikki – encontrada com cancro nas orelhas e estomatite –, do Xico (que tinha uma hérnia diafragmática e que já foi operado com sucesso) e outros miaus que foram salvos por estas protetoras.

Mas ajudar comporta despesas. “Todos estes resgates têm tido valores altíssimos para a nossa associação e precisamos urgentemente da vossa ajuda para liquidar a despesa veterinária que temos”, apelam. Se puder apoiar, todos os contributos são bem-vindos. Percorra a galeria para conhecer alguns dos animais que estão sob a responsabilidade da Abraços de 4 Patas.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT