Animais

Noopy, o cão com capa de super-herói que só anda em duas patas

Super Noopy tem oito anos e promove a adoção de animais com deficiência. Ele é embaixador do projeto Cão de Rodinhas.

É o vira-lata, como se diz no Brasil, mais conhecido do seu país. Chama-se Noopy, tem oito anos e move-se apenas com as patas traseiras. A sua história é de superação. Como diz a tutora, Pollyana Mayer, “o mundo precisa de o conhecer”.

Noopy nasceu com uma malformação desencadeada, provavelmente, por fatores genéticos. Vivia, até ao início de 2020, com um casal que passava por uma situação financeira complicada e que estava à procura de uma família que o pudesse acolher e dar-lhe amor. O destino cruzou-o com Pollyana. “Eu tinha uma outra cadelinha, que morreu em julho 2019. Desde essa altura que estava de luto, mas entre dezembro desse ano e janeiro do próximo comecei a pensar em adotar um outro animal. Procurei e foi então que me deparei com uma fotografia desta criatura no Facebook. Parecia que tinha um sorriso enorme a pedir um lar”, recorda a brasileira.

Apaixonada por Noopy, deu-lhe uma nova vida. Em casa, onde divide o seu dia a dia com as companheiras Shakira e Maguila, mas também nas plataformas digitais, onde o cão — completamente independente, apesar da sua condição física — tem uma enorme legião de fãs: 144 mil no Instagram, 386 mil no Facebook, 201 mil no TikTok e 11,5 mil no YouTube, “Criei um perfil de Instagram para ele assim que o adotei, em fevereiro de 2020. Em abril, tornou-se viral e, desde então, está sempre a crescer. É uma coisa de loucos. Eu não esperava isto”, confessou Pollyana Mayer, explicando que o seu objetivo sempre foi apenas partilhar quão incrível é o seu patudo.

Além do nome de super-herói, Super Noopy utiliza uma capa e um corpete únicos, principalmente quando sai à rua. Ele é embaixador do projeto Cão de Rodinhas e protagoniza várias campanhas a favor de uma maior inclusão de animais com capacidades especiais. A aceitação é enorme. “Eu nunca tinha visto uma coisa destas na minha vida. Acho que quando estão com ele ao vivo e a cores, as pessoas têm a mesma sensação de quando as veem os vídeos dele pela primeira vez. Toda a gente fica espantado de uma forma positiva”, refere a tutora.

E, afinal, como é que este cão começou a andar apenas com as patas traseiras?  A resposta é simples: um dia, levantou-se e começou a caminhar sozinho. Thessa Petersen, a médica veterinária que o acompanha, explica: “Quando questionam se ele precisa de uma cadeira de rodas, eu digo que não. Ele criou uma força no abdómen e na sua musculatura superior muito impressionante e é isso que o faz ter equilíbrio.”

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT