Animais

Pássaro criado por cadela é retirado do lar onde vivia. Família está devastada

Os tutores estão a pedir ajuda para Molly regressar à única casa que conhece desde bebé. As autoridades recusam-se.
A cadela até produziu leite para a cria quando a conheceu.

Peggy e Molly tornaram-se inseparáveis desde o momento em que se conheceram. A cadela Staffordshire Bull Terrier e o pássaro Pega resgatado (os famosos Magpie, em inglês), criaram um laço que a família acreditava ser inseparável — até as autoridades australianas decidirem recolher a ave quatro anos após o seu resgate.

Juliette e Reece Wells, os tutores da dupla, partilharam a devastadora notícia esta terça-feira, 26 de março. “É de partir o coração fazermos este anúncio hoje”, disse Juliette. “Tivemos de entregar Molly ao DES – Departamento de Ciência e Inovação – pois tinha um pequeno grupo de pessoas a reclamar constantemente com eles”.

A atitude das autoridades tem revoltado os fãs da dupla, que nunca esteve separada desde que se conheceu. Molly sempre viveu livre, mas os donos avançam que por causa da relação que criou com a família que a salvou, recusou-se a voar para longe, mantendo-se sempre próxima, especialmente da melhor amiga canina.

Porém, o DES disse num comunicado citado pela CNN que Molly foi “ilegalmente” retirada da natureza (apesar de, alegadamente, ter sido resgatada pela família após ter caído do ninho). “Os animais em reabilitação não devem associar-se a animais domésticos devido ao potencial de serem submetidos a stress e aos riscos de impressão comportamental e transmissão de doenças”, frisaram as autoridades.  “Os animais selvagens devem permanecer selvagens.”

A família rebateu: “Estamos a perguntar-lhes o porquê de um Pega selvagem não poder decidir por si mesmo onde quer morar e com quem quer passar seu tempo?”.

Molly foi acolhida pela família em 2020, após ter sido encontrada muito debilitada no jardim do casal. “Ela estava muito cansada e não sabíamos onde os seus pais ou o seu ninho estavam”, disse à PiT numa entrevista passada. “Esperámos e esperámos e os outros cães começaram a aparecer. Então, resolvemos levá-la para casa. Ela dormiu o dia e a noite inteira, estava mesmo muito cansada”.

No dia seguinte, o casal ensinou-a a voar. “Contactámos os nossos amigos especialistas em vida selvagem e na altura todos estavam ocupados e não conseguiam acolhê-la, mas deram-nos toda a informação que precisávamos para cuidarmos dela”, explicou Juliette. “Normalmente, quando tiramos uma ave dos seus pais, eles não querem mais saber dela. E a partir daí, percebemos que ela estava sob os nossos cuidados”.

Durante várias semanas, Juliette e Reece reabilitaram Molly e após cerca de um mês, o pássaro teve o seu primeiro contacto com Peggy, uma das duas cadelas da família que ficou completamente rendida. A Peggy começou a produzir leite e a ave começou a bebê-lo”, partilhou a tutora. “Elas criaram um laço muito próximo e estranho. A Peggy achava que a Molly era a sua cria e começou a sofrer de gravidez psicológica. Chegou a produzir tanto leite que tivemos de a levar ao veterinário para começar a tomar medicamentos para parar de produzir para este pequeno Pega”, contou, aos risos.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Peggyandmolly (@peggyandmolly)

Os utilizadores estão a condenar a decisão e estão a ajudar a família a recuperar Molly. “A ave está ligada a esta família e não pode ser devolvida à natureza. Por isso, o que eles vão fazer com ela? Colocá-la numa jaula grande, para viver a vida sem um grupo?! Quão cruel é isso?!”, questionou uma utilizadora.

Já outra, acrescentou: “A pobre Molly deve estar a sentir-se muito vulnerável sem a sua família, aposto que está a ladrar agora, à espera que a tragam de volta para casa”. Graças à convivência com a patuda, o pássaro aprendeu mesmo a ladrar, pouco depois de Peggy ter dado à luz em agosto de 2022.

“Houve um dia em que ouvi um barulho e quando vi, Ruby [filha de Peggy] e Molly estavam a encarar-se uma à outra. Ruby ladrou em sua direção e Molly ladrou ainda mais alto como reposta”, recordou Juliette à PiT em 2023. “Foi mesmo muito engraçado e hoje em dia, às vezes quando as escuto a ladrarem, não sei se são as cadelas ou a Molly”.

Para ajudar, os tutores estão a pedir aos seguidores que enviem e-mails para os membros do parlamento australiano, bem como para o geral através do endereço coomera@nullparliament.qld.gov.au e também ao responsável pelo DES, James Merrick, através do contacto directorgeneral@nulldes.qld.gov.au .

De seguida, carregue na galeria para ver momentos de Molly com a família.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT