Animais

Patusco partiu a pata. Voluntários têm 1 dia para o ajudar ou será eutanasiado

A associação em Barcelos já tem dívidas na clínica e para seguir com a cirurgia do cão, precisa pagá-la esta sexta-feira, 12.
Quando apareceu, há três anos.

Patusco pode estar com os dias contados. O cão foi recentemente acolhido pela Streetdogs, uma associação em Barcelos, distrito de Braga, após ter sido visto por uma testemunha com “a pata no ar e uma ferida aberta”. Esta segunda-feira, 8 de abril, foi internado e através dos exames, foi descoberto uma fratura na patinha.

“A ferida dele já se encontrava muito infetada e tem feito pensos diários”, começa por contar à PiT Alexandra Figueiredo, que há 18 anos resgata animais. “Ele necessita de uma cirurgia que está marcada para esta sexta-feira, mas dado que temos uma dívida elevada na clínica, terá que ser paga na hora e não temos esse valor”, lamenta. 

O cão vive na rua há cerca de três anos e a voluntária conta-nos que, supostamente, pertencia a uma senhora que se mudou e o deixou para trás, juntamente com outro animal. “Ele começou a ser alimentado por algumas pessoas, que se juntaram e criaram um abrigo para ele, passou a ser uma espécie de ‘cão comunitário’. Na zona onde estava, tem por lá muitos amigos”, explica.

Estima-se que Patusco tenha cerca de dez anos e caso não seja operado com urgência, terá de ser eutanasiado porque a infeção poderá passar para o organismo. “Não faz sentido que seja eutanasiado por ter uma pata partida”, frisa Alexandra. “Somos pela vida. Não eutanasiamos animais em situações clínicas piores e já conseguimos verdadeiros milagres. Sabemos que a verba é muito elevada, temos consciência disso, mas quanto vale uma vida?”, questiona.

Entre a cirurgia, raio-x, análises, internamento, pensos e pós operatório, a associação precisa de 1.500€.  O ideal é juntar todo o valor de imediato, mas caso consiga angariar pelo menos metade esta sexta-feira, 12 de abril, e o restante nos próximos dias, Patusco terá uma oportunidade de sobreviver. As ajudas podem ser enviadas através do MbWay (919337280 ou 912661820 /968834244 — números alternativos) e IBAN (PT50.0033.0000.45530785187.05).

Patusco é descrito como um cão independente e com as pessoas que conhece “é sereno”. Contudo, tende a ser desconfiado com estranhos. “Os mimos tem que ser quando ele quer e com a cuidadora principal”, partilha. “Ele não pode ficar sem a cirurgia, a infeção rapidamente passaria para o organismo, além de tudo o que está associado à fratura como a dor, não pousar a pata, entre outros”.

A associação também está a lutar para salvar Simon, uma gatinha diagnosticada com PIF que está quase a terminar o tratamento. Também precisa de ajuda para suportar as despesas.

A seguir, carregue na galeria para conhecer Patusco. Pode entrar em contacto com a Streetdogs através do Instagram, Facebook ou e-mail (geral@nullstreetdogs.pt).

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT