Animais

Crueldade. Polícia resgata 150 gatos destinados ao consumo humano na China

Os felinos foram encontrados presos e amontoados em jaulas enferrujadas. Acredita-se que muitos deles sejam animais domésticos.
Os animais já estão a receber os devidos cuidados.

Membros de uma organização criminosa foram presos na cidade de Jinan, na província de Shandong, no leste da China, por capturarem mais de uma centena de gatos para serem vendidos para indústria da carne. A Humane Society International (HSI), uma organização de defesa dos direitos dos animais, disse em comunicado esta terça-feira, 30 de agosto, que 148 felinos foram salvos, sendo que mais duas crias nasceram após o resgate.

De acordo com um grupo de ativistas locais da VShine, os criminosos estavam a utilizar pardais vivos — espécie protegida na China — para atrair os animais. Os gatos estavam amontoados em sete gaiolas, todas enferrujadas, e foram resgatados juntamente com mais de 30 pardais encontrados no local. As aves foram libertadas na natureza.

“Foi chocante ver o estado em que estavam, muitos deles enfraquecidos e a chorar”, disse à HSI um voluntário. “Estamos muito gratos que a polícia local de Jinan acompanhou-nos no resgate e deteve os comerciantes de gatos”. Os ladrões atraiam os felinos na rua e a HSI acredita que muitos dos animais são domésticos.

A técnica “sofisticada” utilizada pelos indivíduos — armadilhas com pardais, dispositivos eletrónicos de controle remoto para fechar as jaulas e a movimentação pela cidade com motas para transportar os felinos até o depósito —, indica que ao contrário dos gatos vadios, que podem ser capturados com peixe ou carne, os animais estavam bem alimentados e só seriam atraídos pelos pássaros.

A China não possui leis de proteção animal para processar a organização criminosa por crueldade contra os gatos. No entanto, os indivíduos que foram detidos podem ser acusados por posse de uma espécie protegida (pardais) e por violarem as leis que proíbem o roubo de propriedade, tendo em conta que dois dos felinos foram identificados pelos seus tutores.

Os restantes animais foram encaminhados para abrigos locais, onde estão a receber os devidos cuidados. A HSI fez um apelo aos tutores que perderam os seus companheiros de quatro patas e pediu para que se apresentem nos abrigos selecionados. Caso não sejam encontrados os responsáveis, os animais ficarão sob os cuidados das associações e cuidadores locais e em breve, estarão disponíveis para adoção.

Quando foram encontrados.

Quatro milhões de gatos morrem por ano vítimas da indústria da carne

No comunicado partilhado esta semana, a Humane Society International (HSI) salientou que, anualmente, dez milhões de cães e quatro milhões de gatos são mortos para o consumo humano na China.

Apesar de um número cada vez menor de pessoas consumiram a carne desses animais no país, o comércio continua lucrativo o suficiente para estimular organizações criminosas a roubarem animais de estimação.

De acordo com Peter Li, especialista em políticas da HSI, as províncias de Guangdong e Guangxi, no sudoeste do país, são os dois principais pontos de consumo. “Em todo o resto da China continental, a carne de gato não faz parte da cultura alimentar”, frisa.

Em 2020, a China baniu o consumo e comércio de animais selvagens. No mesmo ano, duas grandes cidades chinesas, Shenzhen e Zhuhai, proibiram o consumo de carne de cães e gatos, tornando-se as primeiras do país a fazê-lo.

Percorra a galeria para ver o resgate dos felinos esta semana.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT

-->