Animais

Soltem os animais. O apelo desesperado de quem luta contra o inferno dos incêndios

Na Serra da Estrela, as imagens de animais com queimaduras e a precisarem de ajuda veterinária, são de cortar o coração.
O IRA está no distrito da Guarda a ajudar.

O fogo continua a varrer Portugal, com o incêndio na Serra da Estrela novamente ativo – devido a um reacendimento que se registou na aldeia de Valhelhas, junto ao Vale da Amoreira – e com outros focos a consumirem muitas regiões do país. Nesta noite de 15 de agosto, no distrito da Guarda, foram muitos os animais conduzidos de urgência para as clínicas veterinárias. Para outros, já nada havia a fazer.

O IRA – Intervenção e Resgate Animal –, que está a ajudar na Guarda, publicou às 3h da manhã desta terça-feira, 16, um post no Facebook com imagens muito sensíveis e a apelar para que as pessoas não se esqueçam de soltar os seus animais, de modo a que estes possam ter uma hipótese.

“Incêndio na Serra da Estrela novamente ativo e com extrema violência. Evacuaram populares e a estão a abandonar os animais presos à corrente”, diz a publicação, acrescentando que já tinham sido, até àquela hora, resgatados sete animais: “seis em estado muito grave encaminhados de imediato para o hospital veterinário mais próximo e um com queimaduras ligeiras”.

Um outro animal “morreu carbonizado por estar acorrentado e sem hipóteses de fuga”, sublinham os elementos do IRA. “Continuamos a receber informações de mais casas com animais mortos ou gravemente feridos pelas chamas. Isso é mais do que inaceitável, é criminoso!”, apontam.

“Estamos a distribuir os animais mediante a capacidade dos hospitais veterinários privados mais próximos. Durante a manhã, o ICNF [Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas] irá apoiar com veterinários e os animais serão encaminhados para o Posto de Comando do Teatro de Operações”, explica o post.

E o horror continua. “Prevê-se uma noite de intenso trabalho no resgate de animais, com a APBS [Associação Portuguesa de Busca e Salvamento], assim como no transporte para os hospitais disponíveis. A gravidade do que estamos a encontrar é indescritível”, descreve o IRA, que deixa os seus dados bancários no mesmo post para quem queira colaborar nas despesas dos tratamentos destes animais.

Também a Qoasmi – Associação Protetora dos Animais da Guarda fez uma publicação, pouco depois das 2h da manhã, com fotos de animais igualmente queimados. “Isto é o que está a acontecer agora mesmo em Gonçalo [Guarda]! Cães presos a correntes com queimaduras, animais com fraturas. O cenário é dantesco para seres humanos e animais. Completamente desolador!”, diz o post.

“Estamos a transportar os que podemos para as clínicas veterinárias, articulados com o IRA, ICNF e autoridades locais que nos dão uma enorme lição de organização e resiliência”,  salienta a associação.

E apela: “Se está numa zona de incêndio ativo, não abandone os seus animais. Leve-os consigo para local seguro. Caso não os consiga transportar, solte-os para que tenham uma hipótese de fuga e sobrevivência.  Peça ajuda às autoridades competentes. Proteja-se!” “Gratos aos magníficos homens e mulheres que lutam para proteger as nossas vidas, o nosso território e as vidas dos nossos animais”, remata.

Também a Clínica Veterinária da Covilhã está a braços com casos muito urgentes. “Hoje estivemos outra vez nas zonas afetadas a tratar estes amigos que com o fogo fugiram. Estão agora a aparecer passados dois, três dias, cães e gatos queimados. Mesmo neste estado voltam a casa! Estamos cá por eles! Sempre…”, diz a clínica num post (imagens sensíveis) publicado perto das 20h, onde também se pode ver fotos de animais a precisar de ajuda.

E não são apenas os animais domésticos a precisarem de assistência. João Oliveira, gestor agroecológico a viver no Fundão, publicou um apelo para que se deixe água e comida para ajudar os muitos animais que estão a perder o seu habitat. “Olá a tod@s que habitem perto da zona da Serra da Estrela (e outras zonas ardidas). Nos últimos dias, a #casadaecolução tem vivido grande azáfama noturna. Passos e trotes, moitas a abanar, até brigas, creio, alguém a fazer bully a raposas”.

E prossegue: “Esta bicharada perdeu a sua casa, o seu habitat, e arrisca a vida noutras paragens em busca de alimento e água. Por aqui, com o que temos, pôs-se o primeiro ponto de água e os restos de comida que sobram das refeições. Apelo a tod@s que façam o mesmo, ajudando esta biodiversidade que nos dá os serviços de ecossistema que nos garantem a vida nesta planeta a que chamamos Terra”.

Percorra a galeria para ver alguns dos animais que estão a precisar do apoio de todos – mas atenção porque as imagens podem chocar.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT

-->