Animais

Quando um animal morre — a homenagem que pode fazer em casa

Pode arranjar forma de o ter para sempre recordado de uma forma bonita e singela, recorrendo às coisas que eram dele.
A saudade também se visita.

O lado duro do amor é a perda. Fica a saudade, as boas memórias, mas o vazio da ausência consegue ser, por vezes, quase insuportável. Lidar com o luto é um processo demorado. E quando nos morre um animal de companhia, as fases desse luto são iguais às que passamos quando perdemos um familiar ou amigo.

Existem em Portugal três cemitérios para animais — Nogueira da Regedoura, Lisboa e Lagos —  e há também funerárias com urnas ecológicas que apresentam várias soluções para podemos guardar as suas cinzas.

Mas o que fazer se não houver disponibilidade financeira para uma cremação individual? Ou, mesmo podendo realizar esse processo, talvez gostasse de ter uma outra recordação que não apenas as suas cinzas.

Uma proposta singela e bonita para recordar o seu cão ou gato passa por aproveitar a sua taça da água e transformá-la num vaso com flores ou catos. Assim, terá o seu amigo eternizado junto a si.

Sempre por perto.

Se quiser dar ao vaso um toque ainda mais personalizado, pode envolvê-lo com a coleira do seu pet e as medalhas de identificação. Será uma forma muito bonita de o recordar sempre que olhar para o seu vaso.

E lembre-se: se o seu animal partiu para “o andar de cima”, o corpo físico deixa de estar presente, mas tudo o resto fica intacto. No coração, nas recordações e em cada memória de um olhar patusco, de uma tropelia ou daquela maneira tão própria de dormir, comer ou chamar por si.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT