Família

A enfermeira que passou 11 dias à procura do cão de um paciente que morreu

Não sabia o seu nome, nem o sexo — só sabia que tinha sido encaminhado para um abrigo. Quando o encontrou, decidiu adotá-lo.

Desistir nunca foi uma opção e quando se encontrou finalmente com Bear Bear (agora Asher), Dezorey Arocha mal podia acreditar. Foram 11 dias de incansáveis pesquisas, telefonemas e e-mails até eventualmente chegar ao paradeiro do patudo — a SPCA of Texas, uma associação de resgate animal. Por sorte, o cão ainda não tinha sido adotado e naquele dia, ganhou um lar ao lado da enfermeira que fez de tudo para tentar salvar o seu antigo dono. 

Tudo começou a 19 de maio, quando um homem de 37 anos foi encontrado inconsciente no próprio carro ao lado do seu cão. Naquele dia, foi levado às urgências, mas não resistiu. Mais tarde, Dezorey Arocha, a enfermeira que assumiu o caso do paciente, recebeu a visita de um polícia que informou que o paciente falecido tinha um cão que foi transferido para um abrigo no Texas, Estados Unidos, já que nenhum familiar podia ficar com ele.

Embora não soubesse qualquer informação sobre o cão — nem o seu nome —, a enfermeira sentiu um aperto no coração e sabia que tinha de o ajudar. Em casa, é tutora de duas cadelas e não conseguia parar de pensar no desespero de Bear Bear, cuja vida mudou por completo de um momento para o outro. 

“Não sabia o seu nome, nem se era fêmea ou macho”, confessou à revista “People” . “Tudo o que conseguia pensar era no quão triste ele devia estar. Não sei durante quanto tempo o dono esteve inconsciente no carro, e isso partiu-me o coração”, recordou. 

Com a ajuda de uma colega de trabalho, começou a fazer várias chamadas para abrigos e associações próximos, sem qualquer informação. Dias depois, descobriu que o cão se chamava Bear Bear e a busca tornou-se mais fácil. A 29 de maio, teve finalmente uma resposta positiva: Bear Bear estava para adoção na SPCA of Texas.

No dia do acidente, Bear Bear foi recolhido pelo canil municipal de Dallas, mas graças ao microchip, foi transferido para a SPCA of Texas, a associação onde o seu antigo responsável o adotou. “Temos uma política que, por mais cheios que estejamos, se forem ex-cães nossos, aceitamo-los de volta. E foi assim que o Bear Bear voltou para nós pela segunda vez”, explicou Chris Luna, diretor da associação.

Quando teve a confirmação que aquele era o cão do seu antigo paciente, Dezorey conseguiu respirar normalmente. “Foi um grande alívio porque outra enfermeira também estava a tentar descobrir onde ele estava durante 11 dias”, frisou. Naquela semana, quando foi visitá-lo, foi amor à primeira vista. 

“Ele era muito meigo, amoroso e gentil. Ao mesmo tempo, também era muito animado e portava-se como um cachorro”, partilhou. E bastou uma hora ao lado do canídeo para tomar a decisão de o levar para casa. “Parecia a coisa certa a fazer. Não sei porque me senti tão atraída por ele”, confessou.

Bear Bear foi batizado de Asher e vive agora ao lado das duas cadelas da enfermeira. “Ele é o líder. Ele adora as meninas e todos brincam juntos constantemente”, avançou. “Ainda não tem um ano, mas está a sair-se excecionalmente bem. Sinto-me abençoada e muito sortuda por tê-lo comigo”. 

De seguida, carregue na galeria para conhecer a nova vida de Asher. 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT