Família

Aeroporto de Lisboa já tem WC canino. E até relva e saquinhos tem

O espaço destina-se a pequenos cães que viajam em cabine e está disponível na chegada a Lisboa. Em breve serão instalados mais.
O novo espaço.

Quando viajamos com os nossos animais, a qualquer momento pode dar-se o caso de eles precisarem de fazer as suas necessidades – o que pode tornar-se complicado quando estão à espera de embarcar num avião. A pensar nisso, o Aeroporto de Lisboa criou um WC canino para os patudos que viajam em cabine.

“Um espaço inovador e acolhedor para os animais de estimação de pequeno porte que viajam em cabine e que agora têm uma zona dedicada à chegada a Lisboa”, anuncia uma publicação no Facebook, feita na quarta-feira, 27 de março, na página do aeroporto da capital.

Com duas fotos deste pet relief, o post explica que este WC tem “zona de água e lavagem, relva sintética, dispensadores de sacos e uma decoração propícia ao conforto que até conta com ‘bocas de incêndio’”. “Estamos certos que será um sucesso entre os utilizadores”, refere. O WC canino não está ainda disponível em todas as zonas do aeroporto, mas estão em marcha novos espaços. “Agora disponíveis na zona das chegadas não Schengen (internacionais, antes da fronteira), em breve serão também instalados na área Schengen e na sala de recolha de bagagem”, revela a mesma publicação.

Aeroporto de Lisboa de parabéns

“Continuamos a melhorar o nosso aeroporto. Vai notar cada vez mais a diferença. Boas-viagens”, remata o post, que conta já com muitos likes. “Mais vale tarde do que nunca. Fico muito contente! Parabéns”, “Finalmente alguma mudança realmente necessária”, “Uma excelente iniciativa e que outros aeroportos sigam o mesmo exemplo e o mesmo cuidado com os pets” e “Em nome de todos os patudos, e particularmente dos meus, bem hajam. Agora falta fazer o mesmo no aeroporto Sá Carneiro” são alguns dos muitos comentários.

aeroporto
Está bem sinalizado.

Posso viajar de avião com o meu animal de companhia?

Nem todas as companhias aéreas permitem o transporte de animais, com exceção de cães-guia. Por sua vez, as que permitem têm critérios para determinar onde viaja o animal e quais as taxas e preços a pagar. São eles: o tamanho, peso, espécie e raça. A maior parte das companhias aéreas apenas permite que animais de pequeno porte ou cães-guia viajem na cabine. Animais de médio ou grande porte serão transportados no compartimento de carga, no porão.

É, portanto, aconselhável que se informe junto das companhias aéreas, compare as condições, reserve o bilhete e saiba quais os documentos necessários com antecedência, para que possa escolher a solução mais conveniente para si, sublinha a TAP na sua página dedicada às viagens com animais, onde poderá tirar todas as dúvidas.

Há uma especial atenção a ter se o seu patudo é de uma raça braquicefálica – focinho curto e achatado –, como o Boxer, Bulldog inglês, Bulldog francês, Boston Terrier, Pequinês, Shih Tzu, Ihasa Apso, Pug, Cavalier King Charles Spaniel, Dogue-de-Bordéus ou Shar-Pei. Nos gatos braquicefálicos, temos como exemplo o Persa e o Birmanês (também conhecido como Sagrado da Birmânia).

Depois de vários acidentes mortais no transporte por avião deste tipo de animais, há já companhias aéreas que não os transportam no porão. É o caso da TAP, que não aceita que cães e gatos braquicefálicos viajem no porão desde setembro de 2018. A Air France e a Lufthansa são outras companhias que seguem a mesma prática.

A TAP informa os seus clientes sobre quais são essas raças – e se o peso do animal e da transportadora exceder os oito quilos também não poderá ir na cabine (exceção feita aos cães de assistência). Os animais que podem viajar na cabine, seja qual fora a raça, estão sujeitos ao pagamento de um bilhete.

À pergunta frequente “Tenho um animal braquicéfalo, posso viajar com ele?”, a companhia responde: “Sim, desde que os mesmos cumpram as regras para viajar na cabine. Caso o animal exceda as dimensões e/ou peso permitidas para viajar na cabine, o mesmo não poderá viajar no porão por não estarem garantidas as condições necessárias ao bem-estar do seu animal”. Percorra a galeria galeria para saber mais sobre raças caninas braquicefálicas.

 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT