Família

Alto: o novo espaço onde o brunch é fine dining e até o cão é convidado a provar

O conceito prima pela qualidade e já pensam em alargar o horário e abrir uma nova localização.
Onde os olhos também comem.

Quando ouvimos falar em fine dining pensamos maioritariamente em jantares de luxo, restaurantes com estrela Michelin ou situados em hotéis de cinco estrelas. No novo restaurante do Porto o conceito é redefinido e é ao pequeno-almoço e brunch que vai, de momento, encontrar esse serviço de excelência.

A qualidade do serviço é mesmo um dos aspetos pelos quais o Alto quer destacar-se. Aberto desde 7 de janeiro, nem precisou de grande publicidade para juntar uma longa fila à porta.

“No primeiro fim de semana havia uma fila muito grande e toda a gente estava à espera com esperança de que houvesse um lugar para sentar”, conta um dos responsáveis, explicando que, embora tivessem feito um soft-opening e sem grande publicidade, os clientes acabaram por partilhar nas redes sociais e passar a palavra aos amigos para fazerem uma visita.

O Alto define-se como um “concept restaurant” ou um “neo-bistro”, onde a visita é uma experiência completa, cada prato tem um nome especial e é pensado para ser diferente. “O nosso conceito é chegar a cada cliente através de todos os sentidos. Tentamos lá chegar pelo som, por como cheira, como sabe, pela textura”, explicam.

Com a ênfase na qualidade do serviço, orgulham-se de ter atenção a detalhes como servir água gratuitamente ou oferecer espumante aos clientes que ficam à espera pela sua vez. Além disto, é um espaço apto para famílias com miúdos e ainda dog friendly, pelo que aqui os cães também são bem-vindos.

Outra das questões importantes para o restaurante é a sua responsabilidade social e os valores que defendem, como a preservação do ambiente e de uma cidade mais limpa. Para isto, colaboram também com associações locais.

No que diz respeito ao serviço e aos pratos, pode contar com opções para diferentes gostos ideais para o pequeno-almoço ou um brunch. Servem vinhos biológicos e café de especialidade e focam-se na qualidade dos produtos.

Na carta é possível encontrar então pratos como tosta de abacate (7,50€); dranniki benedict (11€), uma espécie de panquecas de batata com salmão marinado, ovos escalfados e molho holandês; omelete de camarão (12€), uma das especialidades da casa; shakshuka (10€), syrniki (8€), umas panquecas de queijo cottage; ou até papas de aveia (8,50€) com pera bêbeda, gorgonzola e flocos de castanhas. No campo das bebidas conte com cappuccino (3€), latte (3€) ou matcha latte (3,50€), mas também sumo natural (3,50€), mimosa (6€) ou vinho (desde 4,50€).

Embora não seja necessário fazer reserva, é aconselhável que o faça para que possa receber o melhor serviço possível, como recomenda o responsável. Dentro de algumas semanas, a ideia passa por incluir um menu de jantar e alargar o horário de funcionamento. Depois, a médio prazo, os objetivos passam também por abrir um novo espaço.

“Porque gostamos muito do Porto, quisemos trazer para cá um conceito que se calhar só encontram em Lisboa, com melhor serviço”, justifica ainda o grupo internacional de criadores, que se apaixonou pelo País e quis contribuir para a cidade.

Se ficou curioso para conhecer este novo espaço e os seus pratos, carregue na galeria.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT

-->