Família

Aqui, todos podem fazer exercício. O seu corpo agradece e o seu cão também

Vista-se de forma confortável, pegue na trela e ala que se faz tarde. Toca a fazer uma caminhada com o seu fiel amigo…
Passear o seu cão fortalece a relação entre ambos, além de que o seu corpo agradece e o bicho também.

Sim, já sabemos que há sempre aquele jardim ao pé de casa, mesmo aí à mão de semear, que serve perfeitamente para eles fazerem as necessidades. Mas não é disso que trata esta nossa sugestão. Ou não é só disso. Quem tem um cão e passa o dia numa correria sabe bem que, por vezes — muitas vezes, aliás —, sobra pouco tempo para os passear. Mas não há nada melhor para tutor e animal do que uma volta a dois — dizem os especialistas que fortalece a relação entre ambos, além de que o seu corpo agradece e o bicho também.

As nossas propostas são válidas para qualquer época do ano. O que interessa é pegar na trela, vestir-se à medida das condições meteorológicas e meter os pés a caminho.

Em Lisboa, há muito por onde escolher. O Jardim do Campo Grande é um dos mais requisitados. Os seus 1,200 quilómetros em linha reta, entre palmeiras, pinheiros e eucaliptos, permitem relaxar e esticar as pernas. E ainda tem um parque canino para poder soltar o seu cão e quiosques onde pode beber um café — e com taça de água para o seu patudo se refrescar.

Mas não é só. Logo ali ao lado existe a Mata de Alvalade, como é conhecido o Parque José Gomes Ferreira. Com 11 hectares distribuídos entre oliveiras e alfarrobeiras, não lhe falta espaço para o pet meter as patas a mexer.

Onde também não falta espaço é no Parque Bensaúde, que se estende ao longo de 3,5 hectares. Com uma entrada quase escondida na Estrada da Luz, pertencia a uma antiga quinta do século XVII e é aí que encontra uma alameda de plátanos e o maior e mais antigo sobreiro identificado na capital. Quer melhor desculpa?

Bem mais pequeno, mas igualmente simpático, é o Jardim Fernando Pessa, perto da Avenida de Roma. Ponto de encontro de vários cães desde há anos, tem um parque com cerca de 180 metros quadrados, onde o seu cão vai ser feliz a dar uso aos equipamentos ali colocados só para ele.

E se já ouviu falar do Parque da Bela Vista por causa do Rock in Rio, fique desde já a saber que esta zona — a segunda maior “mancha verde” de Lisboa — tem 85 hectares de zonas arborizadas e de relvado, recortadas por uma rede de caminhos ideal para dar umas belas passadas. Aproveite e, quando chegar às zonas mais altas, aprecie a ampla vista sobre a cidade e o rio Tejo.

Na fronteira da capital, sugerimos um pulo até Monsanto. Com uma área de 1000 hectares, o chamado “pulmão de Lisboa” tem espaços para todos os gostos, seja a incontornável Alameda Keil do Amaral, o Parque do Calhau e a Mata de Benfica.

Nos arredores de Lisboa, há muito por onde escolher, mas o paredão Oeiras/Paço de Arcos ou Estoril/Cascais é uma das opções mais em voga. Entre uma corrida e uma caminhada, uma coisa é certa: o seu cão vai conviver com outros, pois este é um dos locais onde cada vez mais pessoas fazem exercício ao lado dos respetivos companheiros.

Já a Norte, há a Marginal de Matosinhos, onde a brisa do Atlântico promete ajudar a refrescar, a Avenida da Boavista, cujos cinco quilómetros de extensão contemplam etapas mais fáceis e mais difíceis — e é você que escolhe —, o Parque da Cidade do Porto, perfeito para fortalecer a musculatura com as suas subidas, ou a Quinta do Covelo, também no Porto, apetrechada de vários trilhos.

Uma dica: seja qual for o seu local de eleição para se exercitar e exercitar o seu animal, nunca se esqueça que tanto você como ele precisam de água. E, vá, para o seu melhor amigo, leve lá uns daqueles biscoitos que lhe dão motivação extra.

Carregue na galeria e veja algumas das nossas sugestões.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT