Família

As pizzas crocantes e as sangrias coloridas chegaram à Avenida da Liberdade

Este é o quarto espaço da Pizzaiollo, a marca do grupo Fullest, que tem se espalhado por Lisboa. É pet friendly.
A base é feita com uma massa crocante.

Se costuma passear pelos vários bairros de Lisboa, certamente já reparou que há uma cadeia de pizzas que tem crescido como cogumelos. Não é impressão sua. A Pizzaiolo está mesmo em todo o lado. O mais recente restaurante do género foi inaugurado a 6 de abril, numa rua paralela à Avenida da Liberdade.

“A Pizzaiollo é uma marca que tenta ser o mais fiel possível a si própria. O primeiro restaurante abriu na Trindade, o segundo na Sé, o terceiro no Parque das Nações e todos eles tendem a respeitar a mesma linha, nas ementas, preçários. O objetivo é que em breve os clientes possam fazer uma pesquisa online por uma pizzaria e encontrem uma destas opções nas imediações”, adiantam Pedro Pereira e José Gouveia, diretores de marketing e comunicação do grupo Fullest.

Entre toalhas de mesa aos quadrados vermelhos e brancos, mesas de madeira e paredes com detalhes no mesmo material, quem entra na esquina entre a Alexandre Herculano e a Rodrigues Sampaio encontra pizzas para todos os gostos. Com base de massa romana, de crosta fina e crocante, regadas com o mais tradicional dos azeites, o indispensável tomate e em sintonia com os mais típicos sabores italianos, têm sido um sucesso. O plano era mesmo esse.

“Quando as oportunidades surgem de abrir novos espaços, como grupo, analisamos sempre várias variantes para perceber qual é a melhor aposta. Neste caso, entre uma universidade, muitos hotéis e empresas percebemos que uma nova Pizaiollo poderia ser o mais indicado”.

No Pizzaiolo da Avenida, à semelhança do que acontece com todos os espaços Fullest, os responsáveis pela cozinha são chefs executivos do grupo e os amigos de quatro patas são bem vindos. Ainda assim, Gonçalo Fernandes, o diretor do grupo, já nos tinha contado que a receita que promete ser única foi pensada pela equipa propositadamente para este conceito específico.

“As pizzas são feitas à frente dos clientes e o forno a lenha até está instalado no meio sala. Além disso, temos um género de mercearia onde expomos os produtos que utilizamos.”

A grande diferença em relação aos outros italianos do Fullest é mesmo essa. “Aqui, quisemos focar-nos nas pizzas feitas no forno de lenha. A exceção são duas bruschettas (a partir de 6,4€), também cozinhadas no forno, e a burrata de tomate marinado e manjericão (10,70€)”, acrescentam.

Entre as 16 criações disponíveis, encontra propostas como a calzone di Apùlia (13,90€), com tomate, pancetta, provolone, azeitonas e cebola roxa e a tartufo nero (17,90€), com pancetta, tomate, mozzarella fior di latte e trufa. Contudo, segundo os responsáveis de marketing e comunicação, as bestsellers são a Diavola (15,90€), “uma pizza brutal, mais pesada e picante” e a Carbonara (15,70€), “pela originalidade”.

Mais do que destacar uma ou outra pizza, é o modo de confeção das propostas que destacam. “Temos sugestões clássicas que sobressaem pelas massas frescas, feitas diariamente, que utilizamos. São confecionadas com ingredientes premium e ficam prontas em poucos minutos, para atingirmos a crocância que pretendemos”, explica. O resultado, diz-nos, é “uma pizza fantástica e diferente”.

Para acompanhar, não faltam cocktails, da caipirinha (7€) ao mojito (8€) e margarita (7€). “Os clientes também adoram as nossas sangrias coloridas, com ingredientes como o prosecco, o pêssego, o limão queimado e a vodka.”

O tiramisú (5,90€) não falta na lista das sobremesas, assim como a panacotta (5,60€) com cobertura de caramelo salgado, ou a pizza de Nutella (5,90€), recheada com frutos vermelhos e chantilly.

Existe ainda a opção de fazer take-away dos pratos preferidos. As pizzas ficam prontas em menos de 10 minutos.

Carregue na galeria para espreitar o novo Pizzaiollo da Avenida com capacidade para receber 66 clientes.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT