Família

Aspyn não é nenhuma “Anti-Hero” — até ajudou a dona a ir ao concerto de Taylor Swift

Primeiro, a cadela de serviço realizou o sonho de Mia de ir à Disney. Agora foi o de ver a sua artista favorita ao vivo.

Mia Angeline é assumidamente uma fanática por tudo o que é relacionado com a Disney. Desde pequena que um dos seus maiores sonhos era ir à Disneyland, mas a sua condição médica não ajudava a que este se tornasse real. Até a sua estrelinha aparecer, também chamada Aspyn.

A jovem de 23 anos sofre de hipotensão ortostática (HO) ou postural, definida pela redução da pressão arterial, que pode causar “desmaios, enxaquecas, palpitações cardíacas”, entre outros sintomas. “A minha saúde começou a piorar drasticamente há alguns anos e os médicos já não sabiam o que fazer. Tentámos diversos planos de tratamento, mas nenhum funcionava”, começa por contar à PiT.

Após estas tentativas, Mia foi aconselhada a adotar um cão de serviço. Aí, começou à procura de criadores responsáveis de Golden Retrievers, uma das suas raças favoritas, e acabou por encontrar Aspyn. Com apenas oito semanas, a pequena revelou logo ter muitas qualidades, nomeadamente no que diz respeito à gestão de crises.

“A Aspyn foi treinada para me alertar quando a minha pressão arterial está irregular e quando tenho enxaquecas, de forma a que tome a medicação. E também apanha objetos do chão por mim, para que eu não tenha tonturas quando me levanto”. Além disso, a cadela, que costuma ter as orelhas pintadas de rosa, consegue guiar a sua dona para saídas de emergência ou para uma cadeira, quando está a ter uma crise, e ainda faz terapia para que a circulação do sangue volte ao normal, pressionando uma parte do seu corpo.

A cadela com três anos tem sido uma grande companheira para Mia. Apesar de, em casa, “ser a cadela mais enérgica e engraçada”, “quando está a trabalhar, é muito calma e focada”, fazendo com que a jovem se sinta segura. Foi isto que as levou a realizar o seu sonho de miúda.

“Comecei a levá-la à Disneyland quando ela tinha apenas oito meses”. Desde então, já foram três vezes e até já ganharam o título de “Cidadãs Horárias Disneyland”, um pin que carregam ao peito com grande orgulho.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Mia + Aspyn 💫 (@theworking.bean)

Após esta conquista, estava na altura de a jovem e Aspyn partirem para uma nova aventura. Uma que a Mia do passado, que costumava cantar para os posters da Taylor Swift que tinha no quarto, agradeceria à do futuro, para o resto da vida.

Quando a cantora norte-americana anunciou a digressão “Eras Tour”, que passará por Portugal a 24 e 25 de maio de 2024, no Estádio da Luz, em Lisboa, Mia nem queria acreditar na grande oportunidade de ver uma das suas artistas favoritas ao vivo. Mas, para isso, tinha de levar a sua companheira de vida.

“Decidi levar a Aspyn ao concerto da Taylor Swift, que aconteceu a 6 de agosto, no SoFi Stadium (Califórnia), porque senti que ela já estava preparada para me orientar num ambiente tão intenso como este. Sabia que ela ia ser fantástica, e nunca teria ido se não fosse pela sua ajuda”, confessa.

Mia comprou um bilhete normal para si, não tendo precisado de comunicar qualquer tipo de deficiência, e, quando chegou ao estádio, avisou os seguranças de que tinha uma cadela de serviço e eles trocaram-na de lugar. Além de ter tido uma vista incrível durante o concerto, Aspyn assegurou que não havia nenhum momento de stress.

“Sempre que ficava exaltada, ela ajudava-me a atravessar a multidão com calma, além de alertar sempre se a minha pressão arterial estava irregular. Ao longo do espetáculo, avisou-me sempre que achava que eu precisava de uma pausa, para que não acontecesse nenhuma crise, e fez-me a terapia para regular a minha circulação sanguínea”, recorda Mia.

Aspyn e Mia tiveram a melhor noite das suas vidas e mal podem esperar pela próxima aventura. O plano é que seja a Disney World, em Orlando, na Flórida.

Carregue na galeria para ver algumas fotografias de Aspyn e Mia.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT