Família

Aurora foi atirada grávida para o lixo. Os filhotes já foram adotados — só falta ela

Depois do mal que lhe fizeram, em Ponte de Lima, demorou a confiar em alguém. Mas agora está pronta para amar e ser amada.
Aurora é um doce.

Há animais que passam por situações tão violentas que demoram muito tempo a ficar bem, psicologicamente, e a voltar a confiar. Foi o que aconteceu a uma jovem cadela, atirada grávida para um contentor do lixo, no final de 2021, em Ponte de Lima. Passaram-se várias semanas até se deixar apanhar – e nessa altura já os seus oito filhotes tinham nascido. Foram todos resgatados e os bebés conquistaram boas famílias. Mas a mamã, que se revelou um doce e que recebeu o nome de Aurora, continua à espera.

Quando a Associação Limiana dos Amigos dos Animais de Rua (ALAAR), soube da cadelinha em pânico, que tinha sido atirada para dentro de um contentor do lixo, acorreu de imediato ao local. Mas ela estava tão nervosa e assustada que a única opção foi virar o contentor e deixá-la fugir. “Prometemos que não desistiríamos dela e assim fizemos. Passaram-se dois meses”, recorda a ALAAR.

Durante duas semanas, nunca mais ninguém a viu. Até que voltou a ser avistada, mas fugia desalmadamente sempre que via uma pessoa. “Apercebemo-nos que se alimentava durante a noite na casa de um casal amigo e protetor dos animais que colocava ração para os gatinhos de rua – mas era ela quem lá ia comer. Foram várias semanas para ganhar a sua confiança. Quando conseguimos, ela já havia parido. A partir daí o foco passou a ser encontrar os bebés. Desde o dia 6 de janeiro, todos os dias havia quem a fosse seguir e bater a zona para os encontrar”, diz o post da associação onde é lembrada a sua história.

Finalmente, a 24 de janeiro, foi encontrado o esconderijo desta mamã e dos seus oito bebés. “Estava numa casa abandonada, perto da zona, cujos acessos eram através de terrenos com mato. Estavam bem escondidos e protegidos do frio e da chuva. E agora, graças à persistência e dedicação de pessoas de bom coração que amam e respeitam os animais, a Aurora e os seus filhotes estão em segurança, protegidos do frio e de vários perigos, e esta mamã já não precisa de andar escondida à procura de alimento, porque esse nunca mais lhe irá faltar”, garantiu a associação.

E assim foi. Os bebés cresceram saudáveis e rapidamente encontraram bons adotantes. E a mamã também acabou por se revelar um doce – mas continua à espera de conquistar uma família.

Aurora tem voz de cantora lírica

“A Aurora é linda. Um bocadinho badocha, desde que vive no abrigo”, conta à PiT uma voluntária da associação, com um sorriso estampado no rosto. “Trazia uma otite dolorosa crónica de anos. Agora que tem a sua otite controlada, seria maravilhoso que conseguisse encontrar uma família tão maravilhosa quanto ela, que partilhe muitos passeios a pé, que aprecie a sua voz maviosa e com qualidade de cantora lírica – a Aurora saúda-nos sonoramente – e que ache a sua ocasional baba adorável, mesmo quando pela roupa”, sublinha a protetora.

E esta jovem cadela, que terá agora perto de cinco anos, é mesmo um doce, afiança a voluntária. “Adora mimo, sabe sentar e precisa de um humano com experiência e calma para lidar com o seu lado dramático – que, como qualquer diva que se preze, a Aurora tem as suas particularidades”.

“A Aurora aprende muito facilmente porque é altamente motivada por comida, mas também por atenção e carinho. Precisa de alguém com experiência. Tornou-se reativa por receio de dor a quem não conhece”, acrescenta a voluntária da ALAAR. E não é para menos, depois de tudo o que passou.

Estará desse lado alguém que se apaixone por esta cadelinha que já passou por tanto? Está desparasitada, vacinada e esterilizada. Percorra a galeria para a conhecer melhor – e se quiser ir visitá-la, contacte a associação. Não vai arrepender-se.

Conheça-a na galeria.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT