Família

Do lixo para o luxo: IRA mostra transformação de cães que ganharam nova vida

Foram retirados de situações difíceis, em ambientes deploráveis, e até resgatados do fogo e do lixo. Hoje vivem dias felizes.
Um feliz recomeço.

Os protetores e associações de defesa dos animais resgatam diariamente dezenas de cães, gatos e outros animais – das ruas, onde nasceram ou onde foram abandonados, de situações de maus-tratos, de contentores do lixo e até mesmo dos braços das próprias famílias que os devolvem, na maioria das vezes com pretextos nada razoáveis. Por isso, para todos eles, um “final feliz” é sempre motivo de celebração.

Para o grupo Intervenção e Resgate Animal (IRA) não é diferente. Cada cão, gato, coelho ou cavalo a quem é dada uma nova oportunidade de vida tem honras de publicação emotiva nas redes sociais da organização. E, nos últimos dias, tem sido possível ver a fantástica transformação de alguns dos cães resgatados recentemente de situações difíceis.

De espancado a mimado

Um deles é Thor, o cão que era espancado com uma barra de ferro na zona da Atalaia, Vila Nova da Barquinha, no distrito de Santarém – e que foi resgatado a 29 de novembro com outros quatro patudos que viviam em condições miseráveis.

Esta situação motivou centenas de comentários no Facebook e depressa alguém percebeu quem era o agressor – tendo-o exposto no dia seguinte, com nome e fotografia. Era bombeiro e demitiu-se.

Agora, o IRA veio mostrar como está Thor, que levava pancada simplesmente por procurar mimos. Parece outro. De cão encolhido, o Labrador está com um olhar mais confiante – e na foto partilhada pelo grupo está a fazer pose junto a uma árvore de Natal, com uma bandolete de rena a compor o cenário.

Thor em família de acolhimento.

“Thor, o menino espancado com um ferro pelo Márcio vem desejar-vos a todos umas boas festas e um feliz Ano Novo. Também quer agradecer-vos toda a vossa colaboração para o seu resgate, tendo encontrado uma família de acolhimento temporário espetacular que lhe proporciona todo o amor que precisa nesta fase transitória. É um menino espetacular com muito para dar e receber e está disponível para adoção responsável”, escreve o IRA.

Do lixo para o luxo

Uma outra publicação mostra um cão bebé, resgatado este mês em Loures de uma situação deplorável, no meio de muito lixo, encolhido junto a um irmão – e na foto ao lado vê-se o mesmo patudo num ambiente acolhedor e de sonho. É o “antes” e o “depois” que todos gostam de ver.

O antes e o depois.

“Da plena miséria, fome e morte certa, para o calor, conforto e segurança de uma família adotiva”, começa por escrever o IRA na legenda do post. “Resgatados em Loures com a sua mãe, foram todos adotados, amados e respeitados como seres vivos que são. Que nunca nos doa as mãos nem que nunca vos falte as forças para estarem sempre por trás desta equipa. Que estes finais felizes vos façam sorrir, acreditar que fazem a diferença e que vos motivem cada vez mais a fazerem parte desta família irada. Não aceitamos menos que isto!”, rematam.

Do fogo e do abandono para o amor

O terceiro final feliz partilhado nos últimos dias pelo IRA é o da Ketty, a Serra da Estrela resgatada pelo grupo a 15 de agosto, com as patas e outras partes do corpo queimadas no incêndio que deflagrou em Gonçalo, na Guarda.

Ketty foi resgatada a tempo pela organização de proteção animal, que opera com foco na deteção, planeamento, resgate, reabilitação, adoção e intervenção em cenários de emergência. Estava acorrentada e não teria sobrevivido sem a ajuda do IRA. Mas o seu infortúnio estava longe do fim. O grupo denunciou, em finais de setembro que os donos da cadela tencionavam ir deixá-la no canil quando saísse do Hospital Veterinário da Guarda, onde tinha estado sob a responsabilidade do IRA, e apelou a uma família de adoção.

Essa família surgiu em menos de 48 horas e hoje Ketty vive uma vida feliz, como sempre deveria ter sido. Quase três meses depois de adotada, o IRA publicou a foto de uma cadela com olhar confiante e muito bem tratada. Para trás ficaram os dias de terror.

A vida feliz de Ketty.

“Viveu acorrentada até ao dia em que quase foi consumida pelas chamas na Serra da Estrela. Por milagre, e por milagre apenas, sobreviveu com queimaduras no seu corpo. Foi resgatada e transportada de imediato para um hospital veterinário na Guarda. Ali permaneceu até ter alta hospitalar, apenas para os seus detentores dizerem ‘quando sair daí vai ser deixada no canil municipal’. Hoje vive a vida de luxo que merece”.

O IRA prossegue: “Esta menina idosa tem a liberdade que nunca teve, a família que nunca conseguiu, o amor que nunca sentiu. Esta velhota, depois de ter passado praticamente a vida toda acorrentada, de ter escapado com alguns ferimentos às chamas e ter escapado a um final num canil municipal, veio agradecer-vos por tudo o que todos vós nos ajudaram a conseguir e a encontrar. Este é um dos nossos presentes de Natal para a família irada que nos apoia e acompanha. O final feliz da Ketty é vosso!”.

Um outro caso que terminou bem foi o do cachorro Caos, que tinha sido atirado a um contentor do lixo nas Olaias, em Lisboa, como a PiT noticiou.

Percorra a galeria para ver mais fotos destes amigos de quatro patas que tiveram o seu final feliz.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT