Família

Donos de Minnie morreram com um mês de diferença. A tristeza pesa-lhe muito

A doce patuda está no Funchal à espera de uma nova família, mas ainda não teve interessados. Continua muito deprimida.
À espera de um novo lar.

Minnie é a personificação de uma alma destroçada. Se há imagem para a tristeza profunda, esta cadelinha de 12 anos espelha-a nos olhos, em todo o seu corpo, na forma como perdeu o apetite e no modo como a desolação a faz desinteressar-se por tudo. Com apenas um mês de diferença perdeu as duas pessoas que mais amava. E para recuperar, só com o amor de uma nova família – mas esta teima em não chegar.

Este foi um ano muito triste para a cadelinha madeirense, que de repente se viu sem as suas referências. A dona morreu no final de maio e, um mês depois, o dono foi encontrado em casa sem vida. Não havendo qualquer familiar que quisesse ficar com Minnie, foi a Associação Ajuda a Alimentar Cães (AAAC) que a acolheu.

Minnie não era estranha à AAAC, já que tinha sido a associação a levar a cadelinha ao hospital, em fevereiro passado, para se despedir da dona em estado terminal – e que acabou por falecer três meses depois. Agora, repentinamente, perdeu também o dono: foi encontrado sem vida a 26 de junho. E na família dos dois idosos ninguém a quer. Perante esta situação, a AAAC não lhe virou costas. E apesar de ser já sénior, as suas protetoras têm esperança que possa vir a ser adotada por uma família responsável que a ame e lhe devolva a alegria de viver.

 
 
 
 
 
View this post on Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

A post shared by Ajuda a Alimentar Cães (@ajudaaalimentarcaes)

Minnie tem comido pouco

Nos primeiros dias, Minnie recusou-se a comer, totalmente entregue à sua tristeza. E teve mesmo de ser colocada a soro. Agora, já vai trincando qualquer coisa, mas pouco. “Ela já começou a comer, mas sempre apenas na nossa mão”, explica à PiT Mariana Nóbrega, presidente da AAAC. Tem havido quem esteja a entregar na associação boa comidinha para Minnie, mas falta-lhe o principal: sarar as dores da alma numa casa rodeada de amor. A patuda  está pronta a ser amada e a tentar recuperar a alegria de viver. Só que está difícil encontrar essa família especial. “Ainda não há nenhum adotante. Nada”, diz Mariana, com tristeza.

Minnie também já foi tomar um banho e foi à tosquia. E até parece mais jovem com este novo “penteado”. “A nossa querida Minnie está com um visual novo. Tomou um banho e foi tosquiada graças ao Palácio dos Cachorrinhos e Gatinhos, que veio de propósito ao nosso cantinho. Está mais fresca e confortável sem tanto pelo e pronta para conhecer o verdadeiro amor de uma família”, salienta a associação numa publicação no Instagram.

Estará por aí quem devolva o brilho ao olhar de Minnie? Percorra a galeria e veja algumas fotos da patuda e da emotiva despedida da dona. E se quiser dar-lhe uma oportunidade, também pode ser adotada no continente.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT