Família

Emocionante. Cadela roubada voa 1000 km e reúne-se com a família passados cinco anos

Sheba foi encontrada na rua e foi o microchip que a levou até à família: "Era como se tivesse ganhado um milhão de dólares".
A família recebeu-a de braços abertos, mal o avião aterrou.

Durante cinco anos, a família Malmstrom escreveu em cartazes as palavras “cadela desaparecida” e espalhou-os por toda a cidade de Baytown, no estado de Texas (EUA). Desta vez, desenhou entusiasmadamente a vermelho a frase “Bem-vinda, Sheba” e exibiu-a bem alto para que a cadela visse da janela do avião que a trazia a casa.

Sheba, uma cadela da raça Pastor Alemão, foi arrancada dos braços da sua família há cinco anos. Em janeiro de 2018, as câmaras de vigilância da casa onde vivia conseguiram captar o momento em que ela “fugiu por debaixo do alpendre, eles [os assaltantes] a agarraram, foram para a parte de trás da carrinha, colocaram-na lá dentro e escaparam”, explica Stephanie Moore-Malmstrom, a tutora e mãe de família.

Stephanie teve que se preparar mentalmente e fisicamente para receber a sua perdida melhor amiga: “Ela vai estar muito agitada, por isso deixem-me ir primeiro”, pedia às filhas, que choravam ofegantemente mesmo antes do avião aterrar. 

Verem Sheba a espreitar pela pequena janela foi apenas a confirmação que precisavam para saber que a mensagem que tinham recebido não se tratava de uma partida de mau-gosto: “Pensei que era um esquema. Isto é inacreditável, é como se tivesse ganhado um milhão de dólares ou um cruzeiro”, goza a tutora.

A família não conteve as lágrimas quando viu Sheba.

A mensagem continha os dados de Sheba, nomeadamente o número do microchip, que foi o que a encaminhou das ruas de Borger, a quase 1000 quilómetros de distância, até à sua família. Jared Harper, agente de controlo animal, avistou-a na berma da estrada e o seu comportamento captou a sua atenção: “Ela não me parecia ser mais um cão que fugiu e estava perdido”, contou o agente da Friends of Texas Panhandle Shelter Pets à ABC.

Decidiu procurar pelo microchip e ficou surpreendido quando, do outro lado do telemóvel, lhe disseram que não sabiam do paradeiro de Sheba há cinco anos. Depois de seguido o seu rasto, deduziram que “quem quer que a tenha roubado”, explica Stephanie, “vendeu-a a uma família, onde ela ficou durante quatro anos e meio”. Acabaram por se mudar e, sem espaço para levarem a cadela consigo, abandonaram-na nas ruas, até ter sido encontrada.

Juntamente com Jared, os Malmstrom procuraram por associações que, de alguma forma, levassem Sheba até aos seus braços. Foi aí que a Pilots N Paws, uma organização focada no salvamento de animais e em levá-los de volta para as suas famílias, entrou em ação. 

Sheba voou quase 1000 km para junto da sua família.

Os pilotos Austin e Ryan voaram pelos céus para aterrar junto de uma família esperançosa e, também, de bifes deliciosos: “Nós temos uma noite de churrasco uma vez por semana, e o pai faz os melhores bifes. Já temos essa noite planeada para ela quando ela chegar a casa”, detalha Stephanie à ABC, poucos dias antes do regresso de Sheba.

Pouco tempo depois de terem a cadela nos braços e de reaviverem o carinho e o amor contagiante de Sheba, a mãe da família partilhou duas fotografias no Facebook, antes e depois de ter sido roubada, mostrando a evolução da patuda com a sua filha. Aproveitou para apelar à importância do microchip e da identificação dos animais de estimação: “Espero que a minha viagem encoraje todos os donos de animais a colocarem-lhes um microchip e a nunca perder a esperança caso o seu ‘bebé peludo’ esteja perdido ou tenha sido roubado”.

Sheba regressou ao amor e conforto da família Malmstrom. Agora, brinca até se cansar, recebe mimos sem parar e delicia-se com os maravilhosos bifes do tutor. Um final feliz que deixa qualquer um com o coração apertado.

Carregue na galeria para ver a reunião de Sheba com os seus tutores e a chegada ao antigo lar.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT

-->