Família

Esperança. Casal despejado em Ponte de Lima já fez proposta à proprietária da quinta

Com a solidariedade de cada vez mais pessoas, Andreia e Paulo já podem tentar assinar um contrato de promessa de compra e venda.
Todos à espera de voltarem a estar juntos.

Andreia e Paulo ainda têm dificuldades em acreditar. A onda de solidariedade que se gerou à volta do casal e dos seus muitos animais que ficaram para trás, quando foram despejados a 18 de dezembro da quinta em Ponte de Lima onde viviam, tem estado a ganhar mais força a cada dia que passa e já foi reunida uma quantia aceitável para poderem enviar uma proposta à proprietária do espaço. E foi isso mesmo que fizeram.

“As pessoas têm sido incríveis no seu apoio e já enviámos uma proposta à proprietária da quinta para a assinatura de um contrato de promessa de compra e venda, com a ajuda de uma advogada de Lisboa, Paula Belo, que nos ofereceu os seus serviços para tentar ajudar a mediar a situação”, explica Andreia à PiT. “Estamos na expectativa e com grande esperança, porque a senhora também é uma amante de animais”, sublinha.

O casal vivia há quatro anos nesta quinta, com os animais que foi resgatando, num projeto ao qual deram o nome “Amor e Abrigo”. Mas há cerca de um ano e meio a proprietária disse que pretendia vendê-la. O desespero tomou conta de Andreia e Paulo, que tentaram encontrar outros espaços, mas sem sucesso. Andreia está reformada por invalidez, pelo que não podem pedir crédito. O tempo correu e no mês passado foram ambos despejados. Os animais ficaram na quinta e o casal pode entrar para os alimentar, mas tem sido uma “dor de alma” vê-los choramingar quando os tutores vão embora, sem perceberem o porquê de não estarem todos juntos.

Andreia, de 36 anos, e Paulo, de 43, apenas conseguiram levar com eles dois cães de porte pequeno. E ora dormem todos no carro, ora num quarto quando conseguem ajuda direcionada para esse fim. Porque neste momento, para eles, o importante é conseguirem reunir a quantia mais elevada possível para entregarem à proprietária.

No início de outubro, o casal criou uma conta de Instagram com o nome “Amor e Abrigo – o recomeço”, onde dava a conhecer a sua história, que a PiT tem acompanhado. Nessa altura disponibilizaram vários meios para quem pudesse ajudá-los. Além do contributo monetário que pode ser dado, via transferência ou através de MBWay, foi também criado um crowdfunding na plataforma Go Fund Me, que contava nesta sexta-feira ao início do dia com 13.373€. “É incrível o amor que temos recebido”, diz Andreia.

Muitos amigos dos animais atentos a Ponte de Lima

A quinta, ao que se sabe, deverá ficar à venda por 175.000€. E a esperança de Andreia e Paulo era atingirem pelo menos 10.000€ para poderem fazer uma proposta à proprietária. “A nossa ideia seria poder entregar esse dinheiro, regressar à quinta e ficar a pagar uma renda, ao mesmo tempo que se iria abatendo de tempos em tempos, com sucessivas tranches, o valor para concluir a compra da quinta.

“A advogada que se ofereceu para ajudar a mediar a situação tem sido um grande apoio. Até porque, desta forma, a proprietária da quinta poderá confiar que pretendemos pagar o valor que for pedido. Estamos a agir de boa fé”, explica Andreia à PiT.

Agora, com a proposta já feita, resta esperar por uma resposta positiva da proprietária. E perceber também se o prazo – 15 de janeiro – que foi dado ao casal para retirar todos os bens que ficaram na casa poderá ser estendido.

Ponte de Lima
A Rott, que já é velhinha, muito feliz a acompanhar Paulo nas lides.

Atendendo a que o MBWay se esgota rapidamente e que há taxas a pagar na Go Fund Me, a melhor maneira de o dinheiro ser totalmente direcionado para esta causa é através de transferência. Mas há ainda muitas pessoas que preferem contribuir através da plataforma, sendo por isso que a meta indicada é de 180.000€ – já pensando nas taxas que terão de ser pagas. Seja de que maneira for, tudo ajuda.

“Todos os fundos enviados por outras vias que não a Go Fund Me são colocados à mesma na plataforma, para que as pessoas vejam quanto temos ao todo. Só que metemos em ‘off’ o dinheiro que recebemos por outras vias, para assim não pagarmos tantas taxas”, explica Andreia.

Muitas figuras públicas e outros amigos da causa têm estado diariamente a chamar a atenção para este caso, tendo os apelos já passado mesmo a barreira de Portugal – uma vez que há influenciadores digitais estrangeiros a partilharem também esta situação e a apelarem à solidariedade de todos. Além do apoio monetário, há também quem esteja a oferecer produtos e serviços que revertem para o projeto Amor e Abrigo.

Ponte de Lima é refúgio de muitos animais

“Temos cerca de 20 cães, 10 gatinhos idosos, um coelho, dois patos, e dois pássaros. Cada um deles é um filho para nós. E há cavalos garranos que se habituaram a nós e se sentem protegidos nesta zona, refugiando-se aqui – já que muitos são mortos a tiro, noutros locais, para serem levados para talhos em Espanha”, conta Andreia à PiT.

Andreia mostra-se muito preocupada com a vaga de frio que atingiu Portugal – e em Ponte de Lima não é exceção. “Não podemos lavar as mantas deles em máquinas públicas e eles não estão com o mesmo conforto que tinham quando estávamos por perto”, lamenta a cuidadora, a quem a Rottweiler já idosa provoca mais receios. “Tirámo-la de um canil há cerca de oito anos e nessa altura ela já vinha referenciada como tendo entre dois a quatro anos. Não merecia estar a passar por isto nesta fase da sua vida”, aponta Andreia, de coração apertado.

Para estes animais, Andreia e Paulo são a única referência de proteção e amor. Será que, com a ajuda de todos, irão conseguir elevar ainda mais o montante que já foi angariado?

Percorra a galeria e conheça os animais da vida deste casal, que aguardam em Ponte de Lima pela tão ansiada reunião de todos..

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT