Família

Família foi obrigada a deixar gato num abrigo — até que o reencontrou anos depois

O novo bebé era alérgico a animais e não tiveram escolha. Agora, a avó da família encontrou Felix numa página de adoção.
Felix e Sienna. Fotografia enviada a Newsweek.

Se acredita naquelas histórias escritas nas estrelas, essa é, possivelmente, uma delas. Felix, um gato de 13 anos, reencontrou-se esta semana com a antiga família que teve de o deixar num abrigo em 2018 após o novo bebé ter sido diagnosticado com alergia a gatos. Na altura, não foi fácil, mas por questões de saúde, os tutores não tiveram escolha.

Sienna, a primogénita que na altura tinha cinco anos, foi a que mais sentiu falta do companheiro. Porém, visitava com frequência a casa da avó, Denise Whitlock, para brincar com os felinos que lá vivem. Ao lado do marido, Denise já acolheu vários gatos seniores e é atualmente tutora de Lucy e Chloe, de 15 anos. Este mês, para surpreender a neta, resolveu acolher um gato bebé. Mas não fazia ideia que o destino tinha outros planos.

Embora na pesquisa só estivesse a procurar filhotes (tinha todos os filtros selecionados) um gato de 13 anos apareceu entre os disponíveis para adoção na plataforma norte-americana Petfinder. E não um qualquer — Felix. Em 2019, o felino havia sido adotado por uma nova família mas em 2021, o seu tutor já não conseguia cuidar de si, e o patudo voltou novamente para o Golden Oldies Cat Rescue, um abrigo que só acolhe gatos a partir dos seis anos.

Assim que Sienna, hoje com dez anos, viu a fotografia do antigo companheiro, os seus olhos encheram-se de lágrimas. “Quero o meu Felix de volta”, disse a Denise, segundo contou a avó à “Newsweek”. A amante de animais nem pensou em recusar o pedido e soube de imediato que aquela era a escolha certa. Felix iria voltar aos braços da pequena dona.

Em poucos dias, o rechonchudo de quase oito quilos estava na casa de Denise a brincar com Sienna. “Estamos mesmo muito felizes que ele viverá os seus anos dourados connosco e terá um recomeço”, referiu. “Queremos que a Sienna entenda o processo vital de ter um animal de companhia, já que ela já se despediu de alguns que atravessaram a ponte do arco-íris”.

Denise acrescentou ainda que a chegada de Felix foi melhor do que a de um bebé, visto que as gatas seniores, Lucy e Chloe, provavelmente não iriam habituar-se a uma nova cria. Já Margaret Slaby, diretora executiva do Golden Oldies Cat Rescue, partilhou que a história do felino é o grande objetivo da associação: oferecer “segunda, terceira e até quarta oportunidade aos gatos”.

“Estamos muito contentes por termos conseguido dar a Felix um novo final feliz”, disse. “Assumimos um compromisso vitalício com os nossos gatos. Todos são adotados ou vivem em famílias de acolhimento amorosas. Se encontrarem um lar e precisarem voltar para nós, isso acontecerá, como com o Felix”.

O patudo tem uma personalidade descrita como “simpática” e apesar da idade, é bastante brincalhão e falador. “Está habituado a dizer olá para todos que chegam a casa. É como um cão, mas não ladra”, brincou Margaret. Felix também adora brincar com lanternas de laser e segundo a presidente, as brincadeiras podem ajudá-lo a perder peso. “Ele também adora ser escovado e passear pelo quintal”.

De seguida, carregue na galeria para conhecer Felix e os outros gatos seniores da associação.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT