Família

O pai de Christina não gostava de gatos — hoje já ajudou mais de 80 felinos

Tudo mudou quando a filha levou gatinhos que estava a acolher até à casa dos pais. Desde então, não querem outra vida.
Não param de sorrir.

Quando Christina Ha se mudou para a casa dos pais, não foi sozinha. A amante de animais levou consigo crias de gatos que estava a acolher como família de acolhimento temporário (FAT) e não demorou muito para os pequenotes conquistarem o casal de idosos. Afinal, ninguém resiste aos bebés — nem mesmo aqueles que dizem não gostar de animais.

Logo nos primeiros dias, a co-fundadora do Meow Parlour, um cat café em Nova Iorque, nos Estados Unidos, começou a perceber um comportamento diferente no pai, hoje conhecido nas redes sociais como o “avô dos gatos”. “Ele nunca gostou de gatos”, disse ao “The Dodo”. “Mas comecei a perceber que ele começou a prestar atenção a eles e vice-versa”, recordou.

Pela primeira vez, o pai de Christina teve um contacto diário com os felinos e ao fim de algumas semanas, já não conseguia ficar longe. Há quem diga que conviver com os animais conquista qualquer um, e foi exatamente isso que aconteceu. “Acho que foi muito fascinante para ele poder estar com os gatinho e conhecê-los”, partilhou. “O meu pai assiste muitos dramas coreanos e às vezes, os bebés juntam-se a ele”.

Com o passar do tempo, os pais da protetora tornaram os cuidados dos felinos num trabalho a tempo inteiro. Durante 40 anos, o casal foi proprietário de uma loja de roubas e agora, ambos reformados, começaram a criar camas para gatos para ajudar nos cuidados dos felinos acolhidos pela filha — principalmente os bebés e seniores.

Os gatos da família Ha.

Diariamente, os avôs humanos dos gatinhos passam horas a brincarem ou a fazerem a sesta com os “netos” temporários. “Foi mesmo adorável vê-los a passar tempos juntos e o meu pai ficava extremamente orgulhoso por fazer parte de um projeto como este”, partilhou.

Houve um dia em que Christina até tentou oferecer-lhe dinheiro por todas as camas e brinquedos que ajudou a fazer, mas a sua reação foi longe da esperada pela filha. “Ele empurrou a minha mão e disse: ‘É isto que os pais fazem’”, referiu. “Foi emocionante”.

Atualmente, o casal já acolheu como FAT mais de 80 gatos e o não pretende parar por aí. “Sou muito grata pelos meus pais conseguirem passar a reforma ocupados e realizados emocionalmente”, escreveu no Instagram. “Todos vocês fazem parte disso e devem sentir-se orgulhosos por terem dado um propósito ao meu pai e ajudado gatos como o Cha Cha Cha, a Joaninha, o Hanner, a Batata Doce Frita e vários outros”.

De seguida, carregue na galeria para conhecer algum dos gatos que a família já ajudou.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT