Família

Foi abandonado por não ser fofo. A polícia adotou-o e agora luta contra o crime

Foi deixado na rua pelo criador, por não ter as características ideais para ser comprado. Hoje, é um "cão-polícia digital".
Chester adorava cheirar e descobrir coisas.

Quatro bebés Cocker Spaniel e dois Terriers foram deixados ao relento pelo seu criador, que considerava que não eram fofos o suficiente para conseguir fazer dinheiro com eles. Não podia estar mais enganado. Não só conseguiram demonstrar a sua fofura, como foi a própria polícia a arranjar profissão a um deles.

Os animais foram encontrados em janeiro pela Real Sociedade da Prevenção da Crueldade sobre Animais (RSPCA), na vila de Hersden, no condado de Kent, no Reino Unido. Por serem de raça pura, os inspetores desconfiaram imediatamente que tivessem sido abandonados pelo seu criador: “Estes cachorros não devem ter conseguido ser vendidos, e foram abandonados por não terem passado a etapa da fofura, quando eram mais valiosos”, explicou Clive Hopwood, um dos funcionários.

Acabaram por ficar no abrigo da RSPCA, onde um dos Cocker Spaniel, Chester foi mais tarde acolhido temporariamente por uma das funcionárias, Sarah Piggott, que o descrevia como muito irrequieto: “Por mais longa que fosse a caminhada ou a brincadeira, nada o que cansava. Percebi que ele adorava descobrir e cheirar coisas, e facilmente encontrava as bolas de ténis de outros cães”, contou.

Além disso, o Cocker já tinha conseguido ajudar o seu irmão Bertie, que foi adotado pouco tempo depois, quando perdeu o seu brinquedo num arbusto: “Dissemos ao Chester para o encontrar, ele foi ao arbusto e trouxe-o imediatamente para o Bertie”, contou a dona, Tara Luxford.

Este espírito pela descoberta e a sua grande energia acabaram por ser o que mudou o destino de Chester. Dois meses depois de chegar ao abrigo, em março, foi levado para a Polícia de Surrey para se tornar num cão-polícia e num farejador profissional. Isto deu especial orgulho a Sarah Piggott, que esperava ansiosamente que ele arranjasse um novo lar, onde se sentisse feliz.

E havia razões para isso, pois, segundo a cidadã britânica, “Chester portou-se muito bem e conseguiu acompanhar os outros cachorros, que começaram a treinar para serem farejadores primeiro que ele”.

De pouco resistível a profissional, eis o novo cão-polícia de Surrey.

Em agosto, o Cocker terminou o curso, tornando-se num profissional, com foco especial em objetos digitais: “Chester vai qualificar-se como Cão Digital, farejando e detetando dispositivos digitais, como telemóveis, cartões de memória e cartões SIM”, escreveu a Polícia de Surrey, numa publicação no Facebook.

Chester foi atribuído a uma agente da polícia, Kim Hackett, que o acolheu em casa para se ambientarem um ao outro e treinarem juntos. Foi, então, passadas seis semanas, que o cão e a sua nova tutora puderam colocar em prática tudo o que tinham aprendido.

Através de uma cerimónia, decorrida no dia 3 de novembro, Chester recebeu a sua licença de cão-polícia e pode agora “lutar contra o crime com o seu olfato”.

Carregue na galeria para ver o novo cão-polícia do Reino Unido, que se distingue pela fofura que não lhe foi reconhecida e pela sua capacidade de cheirar coisas.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT