Família

Guia fundamental para o seu cão sobreviver ao stress provocado pelo Carnaval

Os animais são especialmente sensíveis ao barulho e à agitação que existem nesta altura do ano. Por isso mesmo, a PiT diz-lhe quais são os cuidados que deve seguir.

Apesar de ser uma época de festas, alegria e diversão, para os animais, o Carnaval é motivo de profundo stress e mal-estar. Tal como acontece noutras datas festivas — como a Passagem de Ano —, os animais de companhia são especialmente sensíveis à música alta, às aglomerações de pessoas e, claro, ao fogo de artifício.

Perante esta súbita alteração da rotina, os cães normalmente reagem de duas formas diferentes: tentam esconder-se para evitar o problema ou fogem do cenário que os aterroriza. E não interesse onde estão, pode ser num apartamento, numa moradia ou na rua. Os animais sofrem sempre nesta altura do ano.

Por isso mesmo, a PiT e a Pétis prepararam um guião fundamental para que os tutores possam proteger ao máximo os seus cães — e ajudá-los a sobreviverem aos desfiles de Carnaval. 

As festas na rua

Durante os dias de festa, deve evitar passear o seu cão nas horas mais agitadas. E nunca se esqueça de garantir que tem o peitoral bem colocado, para que a trela esteja sempre segura. Em qualquer momento, o seu pet pode fugir em pânico e de forma inesperada.

Neste cenário, a única forma de recuperar o animal perdido é ter uma placa de identificação e o microchip implantado. Além disso, quando o animal entra em pânico e se sente numa situação de perigo, irá ficar confuso e sem capacidade para reconhecer a voz dos tutores. Ou seja, vai aumentar o risco de ser atropelado ou de se perder, sem saber como voltar a casa.

Se gosta de se mascarar e ao seu cão também, pode fazê-lo mas tenha em atenção os materiais das fantasias. Opte por tecidos e fatos confortáveis para o seu animal, para evitar qualquer desconforto, e não coloque nada que possa sufocá-lo ou tirar-lhe a visão. Evite também usar tintas ou purpurinas quando estiver perto do seu animal — são produtos altamente tóxicos.

Se optar por levar o seu pet para as festividades, deve ter sempre uma garrafa de água e um recipiente para que o seu animal de companhia possa beber água em qualquer altura do dia.

E as festas em casa

Se gosta de aproveitar esta altura do ano para descansar em casa, tente isolar ao máximo o som da euforia nas ruas. O ideal é manter os estores fechados, com um som neutro e familiar em casa. Pode ligar, por exemplo, a televisão ou colocar música tranquila a tocar. Deve também ter portas e portões fechados, de forma a garantir que o animal de companhia não foge no caso de se assustar. 

Durante os momentos de maior barulho, uma boa solução para manter o seu animal entretido é um brinquedo interativo — daqueles recheados. Outra solução é treinar o cão, especialmente enquanto são jovens, de forma a que estejam habituados a barulhos altos ou estrondos súbitos. Um bom método para educar os animais é através de vídeos ou gravações de sons que repliquem várias possibilidades. 

Se estiver numa situação que não consegue controlar, encontrar um animal em apuros ou simplesmente quiser tirar dúvidas sobre o que fazer nestes momentos, a Pétis tem disponível uma linha dedicada a apoiar todos os clientes em qualquer situação de urgência, com acompanhamento por especialistas que podem fazer uma triagem imediata e aconselhar como devem agir em determinada situação.

Para aderir à Pétis, basta fazê-lo na plataforma online. O processo é gratuito. Existe ainda uma área pessoal onde é possível guardar toda a informação dos seus pets, para que esteja sempre tudo em dia. O registo é igualmente gratuito. 

Este artigo foi escrito em parceria com a Pétis.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT