Família

Homem que raptou os cães de Lady Gaga condenado a 21 anos de prisão

Ryan Fischer ainda tentou impedir que raptassem os Bulldogs, mas acabou por levar um tiro.
Kovi e Gustav voltaram sãos e salvos.

Foi há quase dois anos que o dog walker de Lady Gaga, 36 anos, foi surpreendido por dois homens quando passeava os três Bulldogs Francesesda cantora norte-americana. Ryan Fisher fez de tudo para proteger os cães, e acabou por levar um tiro como consequência. Agora, vê a justiça a ser feita.

Na passada segunda-feira, dia 5 de dezembro, Fischer, 41 anos, relembrou a noite de 24 de fevereiro de 2021, em que dois dos cães da cantora acabaram mesmo por ser raptados. O funcionário da artista e compositora de “Bad Romance” esteve presente no julgamento que condenou o seu atirador, James Howard Jackson, a 21 anos de prisão.

Após ser capturado pelo rapto de Koji e Gustav, e de eles terem sido devolvidos com saúde, o jovem de 20 anos foi libertado em abril, por erro da polícia. Mas voltou a ser capturado em agosto. Uma das suas parceiras no ato criminal, Jaylin White, foi também sentenciada, mas apenas a quatro anos de prisão. O outro raptor, Lafayette Whaley, 28 anos, ainda está a aguardar por condenação.

Ryan Fischer com os cães de Lady Gaga.

“Fui abandonado para morrer”

“Eu perdoo-te e a toda a gente envolvida no ataque. Mudaram completamente a minha vida, e sei que não conseguiria seguir em frente até te dizer estas palavras”. Fischer descreveu toda a cena do ataque no seu testemunho, citado pela revista norte-americana “Rolling Stone“.

“Fui espancado, estrangulado, levei um tiro e fui abandonado para morrer. A esvair-me em sangue no passeio e a implorar pela vida”.

O homem passeava Asia, oito anos, Koji, sete, Gustav, seis, quando começou a ser seguido por Jackson e os outros raptores. Segundo a advogada do atirador, nem sabiam que se tratavam dos cães de Lady Gaga, mas apenas de três Bulldogs Franceses super raros e valiosos.

O dog walker confessou ter ficado confuso quando foi abordado pelos homens: “Eles apontaram para os cães, afirmando que os queriam. Eu disse: “Não”. E depois comecei a gritar por ajuda e a tentar defender-me”, explicou.

De seguida, Jackson atirou-o contra um banco de cimento e começou a tentar sufocá-lo, ao que ele ripostou batendo-lhe com uma garrafa de champanhe que tinha comprado numa mercearia ali perto.

Quando se viu solto, tentou alcançar o cão Koji para o proteger. Foi aí que tudo piorou: “O cão latiu para mim, e eu tentei chegar perto dele. E aí, o homem, o homem com a arma, deu-me um tiro”, confessou.

“Tentei imediatamente chamar por ajuda, mas percebi que estava a sangrar do pulmão, e que estava a perder ar muito rapidamente”.

Ao mesmo tempo, viu que a cadela Asia estava escondida, e fez-lhe sinais com as mãos para assim se manter. No entanto, a Bulldog não aguentou, e tentou socorrê-lo mal foi alvejado. Quase sem ar e esvaído em sangue, Fischer conseguiu, com a maior calma possível, chamar por ajuda.

Koji e Gustav acabaram por ser raptados, e estiveram desaparecidos durante vários dias. Foi após a cantora oferecer uma recompensa de 500.000 dólares (aproximadamente 475.000€, tendo em conta a taxa de câmbio atual) que eles foram devolvidos. “Eles voltaram para a sua mãe. Não sei se conseguia viver comigo mesmo se eles tivessem morrido”, confessou Fischer no testemunho.

O pai da raptora Jaylin White, Harold White, admitiu que os cães estiveram no seu quintal durante algum tempo. Mas foi uma alegada amiga sua, Jennifer McBride, que os retornou à cantora, argumentando que os encontrou amarrados a um poste. Os dois foram acusados de ser cúmplices do crime.

Carregue na galeria para ver os cães de Lady Gaga, que estão são e salvos em casa.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT

-->