Família

Inglaterra regressa do Mundial com mais um membro: o gato que assistia aos treinos

A seleção perdeu com a França e e ficou pelo caminho. Os jogadores quiseram trazer uma recordação do Catar: Dave.
Dave tem uma nova casa.

Os jogadores da seleção inglesa voltaram domingo ao seu país com o sonho por concretizar. No entanto, apesar de não terem conseguido a taça do Campeonato do Mundo de Futebol, trouxeram algo ainda melhor: Dave, o gato que os apoiou nos treinos.

A Inglaterra foi derrotada pela França, por 2-1 na véspera e os jogadores viram travado o seu acesso às meias finais, onde jogariam com Marrocos. Mas, quando foi para comprar os bilhetes de avião de regresso a casa do Catar, os defesas Kyle Walker e John Stones lembraram-se de uma promessa que tinham feito no início da competição.

“Espero poder cumprir a minha promessa e levá-lo connosco para casa, se ganharmos o Mundial”, disse Kyle Walker, 32 anos, na antevisão do jogo, citado pelo jornal britânico “DailyMail“.

O gato vadio apareceu pela primeira vez junto ao hotel de Al Wakrah, onde a seleção estava hospedada. Dali, nunca mais quis sair. Aliás, no dia da antevisão, até lutou com outro gato para se certificar que não saía de perto da equipa: “Ele teve uma pequena briga com outro gato. Acho que estavam a lutar por território e comida. Mas ele está bem”, avançou Walker.

Não foi preciso muito para o gato criar uma grande amizade com os jogadores: “Ele estava lá há um dia, e eu e o ‘Stonesy’ adotámo-lo logo”. Para os jogadores do Manchester City, Dave era o amuleto da sorte para o Mundial. No entanto, revelou tratar-se apenas de um membro da família. Mas John Stones não se importa, pois ele mesmo adora animais. Inclusivamente, foi homenageado pelo colega de equipa Bernardo Silva, internacional português, que batizou o Bulldog Francês com o seu nome.

O mesmo não se pode dizer do resto da equipa, no entanto: “O Dave já está em cima da mesa. Algumas pessoas não gostam dele, mas eu adoro-o”, disse Walker

Dave saiu do hotel duas horas antes da equipa. Não para a Europa, mas sim para o veterinário, onde lhe foram feitas análises ao sangue, vacinas e onde terá que passar quatro meses de quarentena antes de voar para Inglaterra.

A mulher que cuidou de Dave na sua ida ao veterinário confirmou que o gato mal pode esperar para ir para a sua nova casa: “Ele vai voltar com a equipa. Ainda não decidiram quem ficará com ele, mas ele vai”.

Carregue na galeria para ver algumas fotografias do gato Dave.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT