Família

Já pensou em ter um tapete com a cara do seu cão? Este projeto no Porto pode fazê-lo

O projeto de Matheus Cintra nasceu como um desafio e hoje leva alegria e sonhos até às casas dos portuenses e não só.
Nem os patudos ficam de fora.

Com o objetivo de abraçar novos desafios na vida, Matheus Cintra decidiu atravessar o oceano Atlântico diretamente do Brasil e aterrou em Portugal com uma mala cheia de sonhos e vontade de ter novas experiências. Formado originalmente em Teatro, Matheus ainda mantém o sonho de fazer parte deste meio no nosso País.

Mas agora vamos ao que interessa. Provavelmente nunca foi muito apreciador de tapetes, mas se calhar foi porque não encontrava “o tal” que o conquistasse, ou provavelmente, tinha alguma ideia em concreto na cabeça e nunca encontrou algo que fosse ao encontro. Pois bem, acabaram-se esses problemas pois Matheus, através do seu projeto RugMe, torna as suas ideias — e sonhos — em realidade, sejam elas quais forem.

Tudo começou em outubro de 2022, quando Matheus se deparou com vídeos de pessoas que já faziam trabalhos deste género e despertou a sua curiosidade e criatividade. “Desde então pesquisei bastante. Acho emocionante quando um cliente recebe um tapete personalizado feito por mim. Gosto muito da reação e de fazer algo que não é tão convencional”, conta.

Por norma, as pessoas nem sabem que querem um tapete deste género, até verem um. O próprio Matheus admite nunca ter visto algo semelhante, até que ele próprio se aventurou e fez um. Desde uma palavra ou frase, a uma flor, até o rosto do seu animal de estimação, todas as ideias são bem-vindas e concretizadas pelas mãos deste jovem. 

Para Matheus, entregar um tapete feito por ele é como dar um abraço, daí a escolha do nome ser um trocadilho com “Hug me” (abraça-me). Já tapete em inglês é “Rug”, assim quis aproveitar a semelhança entre as palavras para dar nome a este projeto.

O artista contou ainda ter escolhido este trabalho porque envolve muita criatividade, cuidado, mas sobretudo muitas cores. Embora não seja a sua principal fonte de rendimento, sente muito carinho por cada um dos tapetes que produz. “Todo o mundo morre de amores pelos tapetes de carinhas de cães e eu principalmente. Então até agora, transformar os patudos em tapete tem sido muito satisfatório”, admitiu.

O RugMe vai estar presente numa grande feira em 2024 e quem sabe? Pode ser que daí surja a primeira loja física de tapetes personalizados no Porto. 

Por enquanto, pode ver as redes sociais do projeto, que apresenta uma verdadeira obra de arte. Se ficou com interesse em ter o seu próprio tapete personalizado ou pensa que daria um ótimo presente para surpreender alguém, saiba que o preço final vai variar consoante a ideia e o tamanho. Todavia, Matheus está sempre disponível para tirar todas as suas dúvidas, calcular o material necessário e enviar-lhe o orçamento final.

Carregue na galeria apra ver alguns dos tapetes já feitos por Matheus.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT