Família

Juntas até ao fim. Cinzas de tutora e gata são espalhadas no espaço

Elizabeth e Chloe viajaram 30 quilómetros acima da Terra numa nave de dispersão e conheceram, em conjunto, o infinito.
Foi um momento especial.

Dois dias após o seu aniversário de 70 anos, Elizabeth Garcia morreu. A cidadã inglesa sofria de uma condição cardíaca grave e já tinha recebido um ultimato dos seus médicos. Amante de viagens, rodou quase o mundo inteiro com o marido, John, e só havia um sítio que não tinha conhecido — o espaço. Mas isso mudou logo após a sua morte.

Quando ainda estava viva, Elizabeth começou a pesquisar formas de se despedir e foi assim que teve conhecido da Aura Flights, uma empresa que organiza voos de naves de dispersão até ao espaço, para espalhar as cinzas do falecido e documenta tudo através de um vídeo, depois enviado aos familiares e amigos.

Logo depois dos seus anos, quando se despediu da família, a irmã, Jean, fez tudo como Elizabeth pediu. Só com uma pequena diferença — a empresária não partiu sozinha. A família entrou em contacto com a empresa para acrescentar uma “passageira” especial: a gata Chloe, que morreu pouco depois da dona.

No site da Aura Flights, uma viagem até ao espaço feita com o auxílio de balão estratosférico especializado, custa cerca de 2950 libras (cerca de 3.500€, à taxa de câmbio atual). O valor inclui um vídeo personalizado enviado à família e uma pequena homenagem no site da empresa. “Ela era uma pessoa muito generosa, ajudava a família e os amigos sem questionar”, partilhou a irmã à agência de notícias “Jam Press”, citada pelo “Daily Mail”. “O seu maior desejo era que as suas cinzas fossem enviadas ao espaço”.

@dailymail Elizabeth Garcia, who passed away in 2022, arranged to have her and her beloved cat’s ashes spread in outer space! 🎥 Jam Press / Aura Flights #ashes #rip #space #outerspace #catlover ♬ Solas X Interstellar – Gabriel Albuquerqüe

A nave de Elizabeth contou ainda com uma foto a preto e branco da empresária. “Foi emocionante e especial saber que era exatamente isso que a Elizabeth queria. Ela teria ficado animada com o resultado, assim como todos nós”, acrescentou Jean, sobre o momento em que assistiu as cinzas da irmã e da companheira de quatro patas a serem espalhadas pelo espaço.

Por cá, o tatuador Pedro Eman também permite que os tutores e familiares se despeçam de uma forma especial — com uma tatuagem feita com as cinzas. “Até hoje não tive nenhum cliente a querer uma tatuagem de cremação, mas gostaria de fazer”, disse o artista à PiT. O processo é todo igual, referiu. “Só muda a tinta, que não é a mesma. E depois juntam-se as cinzas da cremação”, explicou.

Se pretender fazer este tipo de tatuagem, basta contactá-lo através do Instagram, na página do estúdio ou na sua conta pessoal. De seguida, carregue na galeria para conhecer o trabalho de Pedro.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT