Família

Luís foi abandonado porque não caçava. Tem agora vida de sonho em Inglaterra

O Épagneul Bréton não podia estar mais feliz. Adora o sofá, já esteve ao volante do carro do “papá” e também vai andar de avião.
Mas que bela vida.

O destino de muitos cães de caça é viver, na maioria dos casos, em espaços confinados, com muitos outros da sua espécie, à espera do dia de saírem e “cumprirem a sua tarefa”. E aqueles que falham, mostrando que “não dão para a caça”, ou que não cumprem um outro requisito qualquer, nem chegam muitas vezes a ter a possibilidade de serem adotados por quem os queira como membros da família, sendo abandonados para morrer. Em Espanha, era esse o destino de um Épagneul Bréton que não queria caçar. Mas não foi esse o seu fim.

Luís, como agora se chama, teve muitos outros nomes. Foi Ton, foi Sport, e sabe-se lá o que mais foi. Em maio, a SOS Animal Mallorca – uma associação localizada em Calviá, no município da ilha de Maiorca, comunidade autónoma das Ilhas Baleares – fazia um apelo para o doce patudo. “Este querido Bréton de cinco anos já está no nosso refúgio há quase dois meses e continuamos à procura de uma família para ele. Depois de mais de um ano e meio em dois canis diferentes, conseguimos finalmente acolhê-lo no nosso abrigo”, sublinhava a associação fundada em 1995.

“Luís tem um duplo perfil: é um típico cão de caça Bréton no exterior e, por outro lado, é carinhoso e sociável. Precisa de pessoas com experiência nesta raça, que o aceitem tal como é e que o compreendam. Ele está muito stressado no nosso refúgio. Os inúmeros gatos que aqui vivem complicam as coisas. Esperamos que encontre uma família de pessoas com paciência e que não lhe exijam demasiado no imediato”, apelavam os protetores da SOS Animal Mallorca.

Luís
Luís no refúgio de Maiorca.

O dia feliz de Luís – e agora todos os dias o são

A associação lembrava ainda que Luís não era um cão de cidade. “Deveria viver perto da natureza, numa casa preferencialmente com jardim”, referiam os cuidadores, apelando a que “quase dois anos entre canis e um abrigo cheguem finalmente ao fim”. E foi precisamente isso que aconteceu, para grande alegria de todos. Numa publicação a 20 de junho, a associação dava a feliz notícia. “Missão cumprida com o Luís. Este Bréton teve de lutar demasiado tempo para superar situações e momentos muito difíceis. Mas finalmente chegou o seu momento. Esteve quase dois anos em dois canis diferentes, antes de vir para o nosso refúgio há três meses, e não sabemos como foi a sua vida anterior. Mas já terá esquecido tudo”.

“A sua grande oportunidade veio de Inglaterra, graças à protetora Elaine, que foi quem encontrou a sua nova família, composta por Craig, Anne e os seus filhos. O nosso Brétoon nunca mais terá de se deitar no chão frio e duro, nem de estar sozinho. Agora deita-se no sofá e é pleno membro da família. E pode também desfrutar de um cantinho especial no jardim, que Craig construiu para ele. Deixa de ser um cão de caça descartado para passar a ser um cão de casa, muito amado e mimado”, escreveram os protetores, agradecendo a esta família pela oportunidade dada a Luís e desejando uma feliz vida juntos.

“Ainda me custa a acreditar”

Mas quem acompanhava Luís e torcia para que tivesse uma boa família ainda teve direito a mais um “mimo” para aconchegar a alma. Em finais de junho, a SOS Animal Mallorca dava conta de que tudo estava a correr na perfeição, partilhando mais fotos da nova vida do patudo e fazendo um post a falar por ele: “Olá, pessoal da ilha. Sou eu, o Luís. Na SOS fizeram-me prometer que continuaria em contacto, aqui de Inglaterra, onde vivo há cerca de 15 dias. Uf, mas a verdade é que não tenho muito tempo livre, porque não paro de fazer coisas. A minha vida mudou radicalmente e sou o cão mais feliz do mundo. Ainda me custa a acreditar”.

Luís
Luís com a nova família.

“Asseguro-vos que estou a começar a esquecer o meu triste passado. Fui abandonado pela minha própria família, andei dois anos entre canis e um refúgio para animais, mas agora encontrei uma família maravilhosa e nem sequer sabia que existia algi assim”, “escreve” o Épagneul Bréton.

E as novidades continuam. “Há sempre alguém junto de mim, participo sempre em tudo e estou sempre a descobrir coisas novas. E até consigo dormir tranquilo e seguro. Inglaterra é um lugar espetacular, embora nem sempre haja sol. Hoje deixaram que me sentasse no carro do meu papá Craig, no lugar do condutor, para um bocadinho de show off”, “diz” Luís com um emoji de sorriso divertido.

Uma vida muito preenchida e cheia de amor

Mas há mais. “E talvez até entre num grande avião em breve, pois o meu ‘papá Craig’ é piloto. Veremos se será possível. Mas o que vos quero realmente dizer é que estou muito feliz. Devo-o a rodos os que lutaram tanto por mim, para me darem esta incrível oportunidade. Espero que muitos dos meus amigos, que também estão há muito tempo em canis e abrigos de animais, também venham a ter uma oportunidade como a minha. E espero que todos vocês que lutam pela defesa dos animais continuem a lutar por nós. Irei contando as minhas aventuras. Até breve”, remata o post assinado por Luís.

Para Luís, que passou por muito, esta nova vida é um sonho. E a sua nova família também está encantada com ele, levando-o a dar muitos passeios e mimando-o muito. Percorra a galeria para ver o antes e o depois deste jovem patudo.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT