Família

Mário e Patrícia estão quase lá. Encontraram um lar, mas ainda não conseguem pagar

O casal que vive numa situação miserável com 11 animais resgatados precisa angariar mais 5 mil euros para um novo terreno.
Imagem ilustrativa.

Mário e Patrícia estão cada vez mais perto de conseguirem um espaço para chamar seu. O casal que vive com 11 animais resgatados num quarto em Oeiras, em condições miseráveis, conseguiu encontrar um terreno simples para dar início a uma nova vida com conforto. Mas ainda só tem metade do valor necessário para deixar o pesadelo para trás.

“Esta casa que encontrámos tem um teto digno e está em condições habitáveis. Duvido que haja muita gente que aceitava viver ali, mas para nós é um sonho”, frisa à PiT Mário, que é o cuidador da mulher, que sofre de doença mental incapacitante. “Para as condições que já vivemos, aquilo parece estar bom e era o fim do pesadelo e o começo de um sonho de começarmos a viver finalmente”.

Por causas da dificuldades da mulher, Mário explica que o importante é conseguirem ir para um sítio isolado. E após muita luta, encontraram um com as mínimas condições. “Houve só uma pessoa que aceitou um pagamento inicial de 10 mil euros com um contrato de compra e venda em que ficaríamos a pagar uma renda mensal durante cinco anos”, explica.

No entanto, até a data, o casal conseguiu angariar pouco mais de 4,8 mil euros através de uma angariação disponível online. Ainda assim, tem esperanças de em breve conseguir chegar aos 10 mil. “Estão no crowdfunding todos os donativos que recebemos, seja de transferência, Mbway ou GoFundme. Está tudo claro, só não colocamos os nomes das pessoas por questões de privacidade, mas temos tudo apontado”, garante.

Os animais de Mário e Patrícia (dez gatos e um cão) são todos idosos e são o resultado de uma vida antiga em que tinham as condições de resgatar e oferecer-lhes uma segunda oportunidade. Quando tudo mudou, no momento em que terão perdido a casa onde viviam há cinco anos, recusaram-se a abandoná-los.

Atualmente, têm rendas atrasadas no quarto onde vivem e estão em risco de irem viver para um “carro que não anda”. Além da página de angariação, as ajudas podem ser enviadas através Mbway (930913605 ou 934889556), IBAN: PT50 0010 0000 4604 3370 00147 e PayPal. O casal também recebeu a visita da equipa dos 2RS — 2 Rodas Solidárias que doou bens para os animais.

“Só continuamos vivos para não deixarmos os nossos animais”

A história foi revelada pela PiT em abril deste ano. Com documentos que provam o estado de saúde de Patrícia, que sofre de doença mental e é reformada por incapacidade. O casal prefere ter o apelido reservado por questões de seguranças. No entanto, o que ambos recebem da Segurança Social devido à situação da mulher “não é suficiente” para conseguirem sobreviver e cuidarem dos 11 animais.

Há nove anos, quando terão perdido a residência, o casal encontrou um lugar para viver em Santarém, a quase 100 quilómetros de onde moravam anteriormente, por 380€. Mas assim que lá chegou, Mário ficou horrorizado. Ainda assim, não encontrou nada melhor até 2022, quando se mudou para o quarto onde está atualmente, onde diz pagar 580€.

“Não tínhamos para onde ir e também ninguém nos alugava uma casa tendo nós animais. Mas, abandonar os nossos filhos queridos, não é, nem nunca foi uma opção”, contou-nos. No “barraco” em Santarém, explicou que ficaram ” à mercê de aproveitadores” e muitos dos animais acabaram por ficar doentes, juntamente com o tutor.

“Caíam larvas por cima do lavatório, havia ninhadas de ratos até por cima do fogão”, recordou. “Fui hospitalizado por apanhar uma infeção e dois dos nossos meninos, apesar de receberem cuidados veterinários, também não resistiram. Foi e é uma dor agonizante”, disse, acrescentando que os seus gatos e o cão são os únicos que lhes dão forças para sobreviverem.

No novo quarto, embora as condições sejam melhores, não são as ideais. isso porque o espaço é pequeno demais para todos e muito conturbado para Patrícia que “odeia pessoas” e só “continua viva por causa dos filhos de quatro patas”.  No passado, a mulher de 43 anos chegou a ficar internada e o dia a dia sem descanso tem tornado tudo impossível.

Mário criou uma conta no Instagram e no Facebook para partilhar as atualizações do caso. De seguida, carregue na galeria para conhecer alguns animais da família.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT