Família

Não há dois sem três: o terceiro cat café português fica em Braga

Abriu há quase um ano na cidade mais antiga de Portugal por meio de dois estrangeiros. Neste Cat Coffee os gatos andam à solta.
Neste café eles é que mandam.

Por enquanto, é o mais novo cat café do País e está a pouco menos de um mês de celebrar o primeiro ano de atividade. Foi a 17 de julho do ano passado que David e Malorie decidiram avançar com um desejo já antigo. O casal francês veio da Bélgica para Portugal, para abrir portas ao Cat Coffee Braga.

Apesar da mudança definitiva, o destino não foi tão inusitado quanto isso. Filho de imigrantes, as raízes de David estão em Trás-os-Montes, Vila Real, e, por isso, a sua mulher cedo se apaixonou pela paisagem portuguesa, uma vez que o casal costumava aproveitar as férias para passar temporadas por cá.

Lá fora, viram o conceito de “cat coffee” a desenvolver-se com maior expressão, sobretudo em França — “Só na cidade de Paris há quatro”, revela David, cujos “R’s” carregados denunciam a sua língua de eleição.

Malorie ficou, desde logo, com vontade de abrir o seu próprio espaço, e depois de sair do emprego onde estava, na Bélgica, a oportunidade de concretizar esse plano materializou-se. Escolheram Braga, uma cidade que já conheciam bem: “Pensei que Braga era um bom destino, porque é uma cidade linda e muito dinâmica, é perto de tudo e oferece uma boa qualidade de vida”, justifica David à PiT.

Um café para os gatos

No café há cinco gatos residentes. Todos eles andam por lá à vontade, como se estivessem em casa. E estão, em boa verdade. Enquanto não são adotados, o Cat Coffee Braga é, realmente, a casa deles. E esse ambiente caseiro é transversal a todos os clientes que por lá passam.

“Fizemos tudo para que os clientes possam relaxar, descansar e aliviar o stress — a verdade é que os gatos ajudam nesse aspeto”, conta o gerente à PiT. E muitos desses clientes são estudantes universitários. “Eles podem vir estudar, tomar um café e descansar depois dos exames”. Também podem comer tostas (com opções vegan), torradas, bolos ou doces, enquanto bebem chá, sumos naturais ou batidos. “Eles gostam bastante do conceito”, acrescenta.

Conceito esse que já existia, também, em Portugal. O cat café pioneiro em solo português abriu em Lisboa, mas fechou entretanto. Seguiu-se O Porto dos Gatos, no Porto, que mereceu uma visita por parte de David e Malorie. Ainda assim, o casal tinha as suas próprias ideias para o negócio: “Gostamos do conceito deles, mas queríamos fazer uma coisa diferente. Lá só podemos interagir com os gatos num lugar dentro do estabelecimento, e nós, o que queremos é que os gatos sejam livres em todo o espaço”.

Ainda assim, para evitar situações de risco, animais de fora não entram: “Seria o contrário do conceito de cat coffee: mesmo no Japão, onde o conceito foi criado, lá é para passar um momento com os gatos do próprio café”, defende o luso-descendente.

Isso não invalida as condições necessárias para que os três elementos da equação — gatos, clientes e comida — se misturem harmoniosamente. Os requisitos para este tipo de estabelecimento foram devidamente cumpridos: “A ASAE exigiu que a zona de confeção fosse fechada e assim fizemos, para que a higiene seja respeitada”, garante o proprietário.

Já sobre os procedimentos relativos à adoção dos felinos, David explica como funciona: “O processo é simples: se virmos que o candidato é uma pessoa responsável que nos dá todas as garantias de o gatinho ser bem tratado — e que há uma amizade que se está a criar entre o candidato à adoção e o gato —, fazemos tudo para ele ser adotado. É só preencher um documento para alterar os dados do micro-chip, que eles já estão vacinados e esterilizados”. 

No entanto, esse perfil não é dado adquirido, nem a adoção é garantida a qualquer um que faça meia dúzia de festas aos patudos. “Aconteceu há pouco tempo um candidato que queria adotar um gato e não nos deu as garantias que seria bem tratado, então recusámos a candidatura”, exemplifica David. “Os gatos não são brinquedos, são animais com sensibilidade”, remata. Melhor não diríamos.

Carregue na galeria e conheça o mais recente cat café a abrir em Portugal.

 

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Rua dos Lusíadas, 18
    4710-404 Braga
  • HORÁRIO
  • Terça-feira a sábado, das 10h às 19h
PREÇO
5-10€
TIPO
Cafés e restaurantes

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT

-->