Família

Notícia da PiT aumenta esperança de mãe e filho que vivem no aeroporto do Porto

Miguel e Isabel têm recebido várias ajudas e vão à televisão esta quarta-feira. Só querem um teto para ficar com os dois cães.
Edgar e Nina estão longe dos donos, numa centro de acolhimento.

Desde junho de 2022 que Miguel e Isabel Martins chamam casa ao aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto. Quando foram ameaçados e despejados da casa onde moravam, a rua foi a única solução. Mas isso pode estar prestes a mudar.

Há muito que a mãe, 60 anos, e o filho, 29, estão habituados a esta vida nómada e com poucas condições. Em 2018, foi a primeira vez que se viram sem teto, mas até aí já o ordenado dos trabalhos que faziam nas cozinhas de restaurantes e em salões de estética mal chegava para colocar comida na mesa.

Desde a pandemia, já passaram por uma instituição, uma casa alugada de onde foram expulsos e acabaram por encontrar conforto num dos sítios mais movimentados do País. Os 350€ que recebem do Rendimento Social de Inserção (RSI) deixaram de ser suficientes para continuarem na companhia dos seus cães, Edgar e Nina, e por isso tiveram que os entregar a um centro de acolhimento.

Miguel e Isabel não são os únicos nesta situação, havendo muitos mais como eles no aeroporto do Porto. E não desejam que assim continue, tendo disparado ajudas por todos os lados. A primeira foi ao blogger Cláudio Porto, que faz o que pode: “Eu bem que tento, mas não ganho assim tanto para poder ajudar. Apelo às pessoas que conseguirem, para os apoiarem financeiramente ou com o que precisarem”, implorou à PiT.

Quando Miguel foi ter com o criador do movimento vegan “O Mundo Verde” pedir por ração para os cães, visto que têm que facultar constantemente alimento ao abrigo onde eles se encontram, este ofereceu-se prontamente a ajudar. E, desde o artigo da PiT, que teve uma grande visibilidade, que não tem sido o único.

“Temos recebido imensa ajuda. Têm-nos dado muita ração para os nossos cães e já me arranjaram umas sapatilhas e várias coisas de que precisava”, conta à PiT Isabel Martins. Desde sacos de cama a alimentos para os animais, mãe e filho têm recebido muito apoio ao o longo dos últimos dias.

“Costumamos ir a um café para usar a Internet, e lá toda a gente tinha visto o artigo e foi muito gentil connosco”. Não foi só no Porto que Miguel e Isabel comoveram corações. Também na capital houve quem ficasse chocado com a sua história e os convidasse a contá-la na televisão: “Esta quarta-feira, vamos à SIC, ao programa do João Baião [Casa Feliz]. Pode ser que seja a porta de um novo início”, diz esperançosa à PiT.

O aeroporto não é lugar para ninguém morar, especialmente alguém com os problemas de saúde de Isabel: “Tenho artrite psoriática. Até estava a precisar de um medicamento, mas não o conseguia comprar, pois era muito caro. Felizmente, recebi várias doações de pessoas que leram o artigo e pude comprá-lo”.

Isabel irá pedir uma baixa por invalidez, para lhe aumentarem os rendimentos. Já Miguel, continua à procura de trabalho, “seja nas obras, a limpar ruas, no que for”. Enquanto isso não acontece, aceitam todo o tipo de ajuda, através de doações em mão ou por MB Way (933 753 853). E prometem: “Não vamos perder a esperança”.

Um novo início para Edgar e Nina

Mais do que uma casa para eles, Miguel e Isabel querem dar boas condições a Edgar e Nina. Há quase um ano que não vivem com eles, e as visitas que fazem ao centro de acolhimento mal chegam para matar a saudade. Miguel sabe que “isto não é vida para eles”.

“Não podem passar os dias fechados numa boxe. Se nada mudar, vou ter que os dar para adoção”, garantiu à PiT. Este não é o final feliz para os donos dos cães, mas será a solução se a situação não melhorar.

Nina surgiu na vida de Miguel quando os dois ainda tinham uma vida relativamente estável, em São Pedro da Cova, vila de Gondomar. A dona da cadela viajou para a Alemanha e optou por abdicar dela. Felizmente, estava lá o amante de animais para lhe dar um lar.

Já Edgar ensinou-lhes as maiores lições de como viver na rua. O cão tinha sido abandonado e há muito que estava habituado a esta vida. Não se importou nada quando Miguel e Isabel decidiram juntá-lo à sua família.

Mãe e filho esperam que a sua ida à televisão tenha impacto e que possam ir para um novo lar com os dois cães. Um com espaço suficiente para sonhar com uma vida melhor.

Carregue na galeria para ver algumas fotografias de Edgar e Nina.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT

-->