Família

O wine bar que tem dois cães como donos: Ippolito e Maciste

Desde 2021 em Lisboa, realiza eventos com pequenos produtores locais, de forma a promover vinhos que nem toda a gente conhece.
Os patudos são os protagonistas.

Em Santos, uma zona tão tradicional de Lisboa, encontra-se o Ippolito & Maciste. Um bar que se dedica a uma arte que partilha essas características típicas da cidade – o vinho. Ippolito, um Boston Terrier e Maciste, um Teckel, e os respetivos donos, Marco von Ritter e Thomas Cecchetti, abriram este wine bar no fim do último mês de novembro e propõem-se a mostrar-lhe todo um novo universo de vinhos.

É um bar com vinhos maioritariamente orgânicos. Temos exemplares de Portugal, França, Itália, entre outros. Para além do vinho, procuramos ser um lugar onde se pode ir com os amigos e desfrutar de uma bela refeição”, explica à PiT Thomas.

Na carta existem vinhos como o francês Moulin A Vent, o português António Madeira Vinhas Velhas da região do Dão, ou o italiano Flavia, que é produzido junto ao vulcão Etna na região da Sicília.

“Eu sou metade italiano e o Marco também, e passámos lá muito tempo então temos acesso a alguns vinhos que não são fáceis de encontrar sem os nossos contactos”, conta o proprietário. “Acho que os vinhos Etna são os meus favoritos neste momento. São de um produtor pequeno junto ao vulcão e têm um significado especial. Também não os recebemos muitas vezes por ano, o que só aumenta o valor que tem para nós”, conclui.

Dado que é produzido em solos vulcânicos, adquire certas propriedades. Thomas descreve-os como acídicos e com muitos minerais, tendo um certo aroma a cereja. “São muito leves e diferentes dos outros”.

Como podemos ver pelo nome, os patudos são extremamente importantes no Ippolito & Maciste Wine Bar e isso dá uma certa identidade ao lugar. “Os animais dão uma boa atmosfera ao sítio. Muitos clientes trazem os cães e deixamo-los andar à vontade pelo espaço. Animam toda a gente”, afirma Thomas.

Quando vieram para Portugal não havia muitos espaços que aceitassem animais e isso era algo que incomodava Thomas e Marco. Quando chegou a altura de decidirem se o bar havia de receber animais, a escolha foi muito fácil. “Antes tentávamos ir a restaurantes que aceitassem animais, mas não era fácil. Agora já começam a existir mais e quisemos ser um deles”, diz o proprietário.

No que toca às iguarias para acompanhar o vinho, o menu muda regularmente. Inicialmente baseava-se mais na cozinha italiana, com receitas típicas do país que liga Thomas e Marco, mas com a chegada de um chefe brasileiro, houve algumas alterações. “Temos vários fornecedores que nos trazem ingredientes diretamente de Itália, o que nos permite sermos o mais autênticos possível”, afirma o proprietário. À tradicional lasanha foram adicionados o hummus, o hambúrguer de polvo e outros pratos do mundo.

No Ippolito & Maciste Wine Bar, o espírito de partilha está por todo o lado, seja nas refeições, que muitas vezes são petiscos para se deliciar com os seus amigos, seja nos eventos que organiza.

As dificuldades inicias por que qualquer negócio passa não são estranhas a ninguém, e o restaurante arranjou uma forma inovadora de combater isso. “Tentamos fazer parceria com outros sítios aqui em Lisboa e mostrar os seus produtos. São uma boa combinação com o vinho e assim as pessoas também podem experimentar coisas novas. Ajudamo-nos uns aos outros”, explica Thomas. No entanto, o Ippolito & Maciste Wine Bar é bastante seletivo com as pessoas com que se junta, uma vez que têm que ser obrigatoriamente biológicos e produtores pequenos.

“Às vezes fazemos degustação de queijo de um produtor francês do mercado de Campo de Ourique chamado Maître Renard, pois o queijo e o vinho complementam-se bem. Também fazemos eventos com pasteleiros e outros tipos de comida”, diz Thomas.

Percorra a galeria para conhecer melhor o Ippolito & Maciste Wine Bar.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Rua da Esperança, nº 72
    1200-658 Lisboa
  • HORÁRIO
  • Terça a Sábado: 18:00 - meia-noite
  • Domingo e Segunda: Encerrado
PREÇO
Entre 5€ e 15€ por pessoa.
TIPO
Cafés e restaurantes

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT

-->