Família

Portugal é o 20.º país da Europa onde é mais caro alimentar um cão

Por cá, o custo anual da ração seca mais barata do supermercado para alimentar um patudo de porte médio é de 536,32€
Ração é um importante custo.

Os cães são, de longe, o animal de companhia mais popular do mundo: a nível mundial, o número de patudos que vivem em família ascende a 471 milhões. Para que tenham tudo o que é necessário – o que, além de amor e bons passeios, inclui alimentação, cuidados veterinários e treinos, bem como colocação de microchip e registo, além de vacinas e desparasitantes –, os gastos têm de ser bem contabilizados pelas famílias na hora de pensarem em adotar um amigo de quatro patas. E sabe em que países fica mais caro e mais barato alimentar um cão? E onde se situa Portugal, nesse mapa?

A CashNetUSA pesquisou o preço da ração seca mais barata para cães nos supermercados locais de 97 países para determinar quanto custa alimentar um cão em todo o mundo – e há conclusões surpreendentes.

Cada tutor tem a sua preferência em termos de alimentação do seu companheiro canino, havendo quem opte pela ração mais barata do supermercado, pela gourmet ou pela que for prescrita pelo médico-veterinário, ou mesmo quem se decida por uma alimentação natural. Falando de ração, embora as marcas de cada país possam diferir, os tipos de comida mais comuns para cães nas prateleiras das lojas são ração seca e húmida – e foi precisamente a seca que foi alvo desta análise.

O estudo teve em conta duas variáveis: mais caro/mais barato (em que se tem por base o preço da ração mais barata dos supermercados locais de cada país) e mais/menos economicamente acessível (em que se compara o custo anual em cada país com o seu PIB per capita).

Depois de encontrado o preço (expresso, no estudo, em dólares norte-americanos) da ração seca mais barata, os autores da análise calcularam o equivalente anual a alimentar um cão de porte médio (18 quilos) com 540 gramas por dia. E quais são as conclusões? No mapa apresentado, é possível ver que o Japão é o país onde fica mais caro alimentar um cão, com um gasto anual de 2.056,88$ (1.906€) e o Botsuana é onde fica mais barato, com 163,59$ (151,66€). Mas, analisando apenas a Europa, em que lugar fica Portugal?

Em Portugal ainda sai caro alimentar um patudo

O estudo mostra que o preço médio, em Portugal, é de 578,49$ por ano – o que equivale a 536,32€, à taxa de câmbio atual. A PiT fez as contas, guiando-se pelo mapa dos 35 paises contabilizados na Europa, e Portugal ocupa a 20.ª posição da lista de países onde fica mais caro comprar comida para o nosso patudo.

Os 19 países da Europa onde ainda se gasta mais para alimentarmos o nosso amigo de quatro patas são Andorra, Estónia, Arménia, Liechenstein, Suíça, Bulgária, Croácia, Roménia, Malta, Ucrânia, Kosovo, Rússia, Lituânia, Albânia, Dinamarca, Geórgia, Mónaco, Finlândia e Reino Unido.

Portugal
Hmm, que delícia.

Nós estamos, assim, em 20.º, ou seja, há 15 países europeus onde é mais barato alimentar um patudo do que por cá – que é, por exemplo, o caso de Espanha, mesmo aqui ao lado, onde fica em 459,64$ (426,13€). E note-se que as contas foram feitas com a ração mais barata encontrada nos supermercados de cada país.

Na Europa, onde é mais barato do que em Portugal?

E quais são, então, os 15 países onde é mais barato alimentar um patudo do que por cá? O mais barato é a Hungria – onde, com 246,38$ por ano (228,42€), é possível alimentar um cão. Seguem-se a Eslovénia, França, República Checa, Grécia, Montenegro, Irlanda, Itália, Alemanha, Bélgica, Holanda, Suécia, Polónia, Espanha e Bósnia-Herzegovina.

Enquanto a comida para cão é, de uma forma geral, mais barata na Europa Ocidental do que na Europa de Leste, o país deste continente onde é mais caro alimentar um patudo é em Andorra (1.855$ por ano [1.720€] – o que o torna também o segundo mais caro a nível mundial). Este pequeno principado, recorde-se, está geograficamente localizado entre França e Espanha.

Nos 35 países europeus que foram analisados incluem-se nações que estão na interseção da Europa com a Ásia: Rússia, Geórgia e Arménia. E a Hungria lidera, assim, a tabela dos países europeus onde a ração é mais barata – mas é na Irlanda que é mais acessível (tanto a nível europeu como mundial), já que o custo anual é de apenas 0,72 por cento do seu PIB per capita.

DECO fez estudo sobre custos de ter um animal em Portugal

Se atendermos a todas as despesas que comporta ter um cão, os valores são, obviamente, muito mais elevados. Em julho do ano passado, a DECO Proteste realizou um estudo onde se debruçou, precisamente, sobre os custos que um animal acarreta.

Segundo esse estudo, intitulado “Ter um animal de estimação fica caro, mas é gratificante”, os canídeos custavam, em média, 1.021€ por ano, e os felídeos 892€. O estudo foi realizado pela organização de defesa do consumidor a partir de trabalho de campo decorrido em setembro e outubro de 2021. E foi feito através de um inquérito enviado a uma amostra da população nacional entre os 18 e os 74 anos.

Já para quem prefere dar a melhor ração ao seu patudo, a DECO fez recentemente um levantamento, analisando 33 marcas para chegar a um ranking. Na galeria que se segue pode encontrar as 16 marcas que a organização de defesa dos consumidores considera terem “muito boa qualidade” e “boa qualidade” (as melhores do teste) – veja se a que compra para o seu cão é uma delas.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT