Família

Rissol foi atropelada e precisa de cirurgia. “Impossível ignorar tamanho sofrimento”

Foi socorrida por uma associação de Barcelos, com o seu corpo a desprender-se da vida. Conseguiu arrebitar e está estável.
Está a recuperar bem e também precisa de uma família.

Ver um animal em aflição e não o socorrer é algo que não passa pela cabeça de um protetor. Por mais que as faturas estejam elevadas e a lotação esgotada, a primeira reação é tentar salvar – e depois ter a esperança de se poder contar a solidariedade de quem possa ajudar nesse processo. Foi o que aconteceu com uma pequena cadela que andava a arrastar-se na freguesia da Pousa, em Barcelos – no distrito de Braga. Tinha sido atropelada e a sua vontade de viver, por entre muito sofrimento, era simultaneamente comovente e angustiante.

“Hoje de manhã, vimos a cadelinha das imagens a arrastar-se. Percebemos depois que tinha acabado de sofrer um acidente. Estava em sofrimento, com fraturas visíveis, várias escoriações e a perder e urinar sangue”, escreveu no domingo, 7 de abril, a associação local de proteção animal, GAAP – Grupo de Amigos de Animais da Pousa, que se apressou a socorrê-la.

Para o GAAP, era “impossível ignorar tamanho sofrimento”. Por isso mesmo, seguiu de imediato para o hospital veterinário, onde um raio-X revelou duas fraturas. “Quando lá chegou, já estava tão fria que as carraças que ela tinha já se estavam a desprender e a sair dela. Como se fosse já um corpo morto”, conta à PiT uma responsável do GAAP.

Rissol – nome que lhe foi dado pelas protetoras da associação – tem estado sob observação, com controlo da dor e a ser estabilizada. E nesta segunda-feira o seu quadro já era mais promissor, embora precise de uma cirurgia. “A nossa menina está a ser uma valente. Está estável e até já comeu por ela. Está a ser medicada para as dores devido às duas fraturas e às feridas que tem por todo o corpo”, explicou o GAAP.

Rissol está a lutar e conta connosco

Agora, a associação precisa da ajuda de todos. “À partida, ainda é operada esta semana”, conta à PiT a protetora da associação. “Ela precisa de todos nós. Vai precisar muito de uma família de acolhimento e também de ajuda para pagarmos a conta dela. Por favor, ajudem-nos a continuar”, apelam as voluntárias no post onde pode encontrar as várias formas de contribuir.

A Rissol não tem microchip e “é uma menina super meiga, com cerca de 12kg, que tem por volta de quatro a cinco anos”, diz a cuidadora, acrescentando que é adulta, mas ainda jovem. “Ela foi atropelada na Pousa, na zona industrial. Ela deve ter sido abandonada no local, pois não pertencia à matilha”, sublinha a mesma responsável.

Agora que a linda e sofrida Rissol está a salvo e em boas mãos, quem pode ajudar a pagar a sua cirurgia? E será que está desse lado o coração certo para a amar e proteger para o resto da sua vida? Percorra a galeria e veja algumas fotos desta meiga cadelinha.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT