Família

Rufus tem 16 anos e não quer morrer num abrigo. “Ele é o melhor remédio de todos”

Apesar da idade sénior, é um cão com muita vivacidade. Continua a acreditar que pode voltar a ter uma família.
É meigo e brincalhão.

Há animais que têm a sorte de serem os escolhidos para terem um lar. Foi o que aconteceu a Rufus e Vera, adotados em conjunto em 2015, depois de terem dado entrada no canil da Póvoa de Lanhoso dois anos antes, em muito mau estado, e de terem sido acolhidos pela associação local para serem recuperados. Mas a vida feliz durou pouco tempo. No ano seguinte, o novo tutor emigrou e voltaram a ser entregues à associação. Vera entretanto morreu e Rufus, agora com 16 anos, ainda sonha voltar a ter uma família.

“O Rufus deu entrada em 2013 no nosso abrigo, depois de ter sido deixado no canil com a sua companheira Vera. Foram ambos adotados pelo mesmo tutor, em 2015, mas devolvidos passado algum tempo porque o dono emigrou. Desde então que ficaram os dois connosco. A sua companheira Vera faleceu há dois anos e o Rufus foi-se muito abaixo – eles viveram juntos durante vários anos e eram muito unidos”, começa por contar à PiT uma das responsáveis do CAPA – Clube de Adopção e Protecção de Animais da Póvoa de Lanhoso.

Com a morte de Vera, os corações destas protetoras ficaram ainda mais apertados. “Pensámos que o pior poderia acontecer, eles tinham uma ligação muito forte. Mas, felizmente, conseguimos arranjar-lhe uma companhia à altura, a Bailey. Entenderam-se muito bem desde o início e o Rufus ganhou novamente a sua vivacidade”, diz a mesma responsável.

Nascido em 2008, Rufus tem já 16 anos, mas não perdeu a sua energia. “Ele é conhecido como o peluchezinho, é tão fofo. É sociável com qualquer cão, e mesmo já tendo 16 anos – embora não pareça – ainda tem muita vivacidade. Muito meigo, adora um bom colinho e miminhos”, sublinha a sua cuidadora, que não lhe poupa elogios.

“Gostávamos muito que estes seus últimos anos pudessem ser passados no conforto de um lar. Está alguém desse lado para lhe proporcionar isso?”, questiona a protetora do CAPA, acrescentando que Rufus será entregue vacinado, com chip e esterilizado. “Se algum dia estiverem tristes, doentes ou desanimados, venham visitar o nosso Rufus e tudo passa. Ele é o melhor remédio de todos. E se quiserem ter diariamente grandes doses de energia positiva, é só adotar este menino. Porque vale mesmo a pena”, garante.

Se quer dar uma oportunidade a este patudo tão meigo e animado, contacte o CAPA para o ir conhecer e a outros amiguinhos que esperam por uma oportunidade. Não irá arrepender-se. Percorra a galeria para ver algumas fotos do fofo Rufus.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA PiT